icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
20/02/2015
15:49

O torcedor do Chelsea Robert Spence, membro do Exército Britânico e que trabalha como guarda da Rainha da Inglaterra, esteve em tribunal nesta sexta-feira para defender-se de uma acusação de racismo. O militar negou que tenha feita ofensas em agosto do ano passado em um amistoso contra a Real Sociedad no Stamford Bridge.

A acusação ao guarda da Rainha é de perseguição racial. Em audiência, ele negou que seja culpado, e a definição do caso foi marcada apenas para o próximo dia 30 junho.

A situação reaparece justamente na semana em que a torcida do Chelsea apareceu em um caso polêmico. Na França, após o jogo contra o Paris Saint-Germain, alguns ingleses impediram um negro de entrar no metrô e cantavam que "são racistas e gostam disso".