icons.title signature.placeholder Luiz Gustavo Moreira
26/12/2013
09:33

No meio dos 28.340 alvinegros que pagaram ingresso na vitória por 3 a 0 sobre o Criciúma, pela última rodada do Campeonato Brasileiro, um menino se destacava por lá: o volante Sidney, que estava no estádio com o pai, Ney, de 43 anos.

– Sou alvinegro desde criança. Minha família toda é. Vou ao estádio direto, estava lá contra o Criciúma e fiquei na arquibancada com o meu pai. Antigamente, íamos com meu avô também (Sebastião, que morreu em 2011) – revelou Sidney.

O avô de Sidney tem uma história curiosa. Alvinegro fanático, deu a alguns dos filhos nomes de jogadores que brilharam no passado. O pai de Sidney, Ney, ganhou esse nome em alusão ao ex-meia Nei Conceição. E os irmãos dele chamam-se Gérson e Jair, referências ao Canhotinha e a Jairzinho.

Tão ligado ao Glorioso, Sidney nem sabe o que fazer quando conquistar um título profissional:

– Nem imagino a sensação. Na base, já ficava emocionado, pelo profissional então... Estarei realizando meu sonho e o da família.