icons.title signature.placeholder Felipe Mendes, enviado especial*
icons.title signature.placeholder Felipe Mendes, enviado especial*
06/07/2013
03:36

A tocha da Universíade já está na cidade de Kazan, na Rússia. O principal símbolo dos Jogos chegou na Vila dos Atletas e será levado neste sábado para a cerimônia de abertura, na Kazan Arena. A festa começa às 21h30 (14h30 de Brasília) e, durante sua realização, será feito o acendimento da pira da Universíade. Quem vai carregar a tocha no evento será Dmitry Khomyakov, estudante da Universidade Federal de Kazan, e atleta do levantamento de peso. Ele foi campeão mundial estudantial em 2012 e campeão mundial juvenil.

O revezamento da tocha começou em Paris, na França, berço dos Jogos. Foram 359 dias de viagem, por 51 cidades por todo o mundo. A chama da Universíade foi transportada em aviões, trens, carros, patins, bicicletas, entre outros. Segundo o Comitê Organizador, com um sistema único na lanterna, a chama não se apagou em nenhum momento durante seu longo percurso. Nem mesmo quando enfretou chuvas fortes ou a neve.

Na Vila dos Atletas, a tocha foi colocada no Museu da Universíade, localizado na zona internacional do complexo.

* O repórter viaja a convite da CBDU



A tocha da Universíade já está na cidade de Kazan, na Rússia. O principal símbolo dos Jogos chegou na Vila dos Atletas e será levado neste sábado para a cerimônia de abertura, na Kazan Arena. A festa começa às 21h30 (14h30 de Brasília) e, durante sua realização, será feito o acendimento da pira da Universíade. Quem vai carregar a tocha no evento será Dmitry Khomyakov, estudante da Universidade Federal de Kazan, e atleta do levantamento de peso. Ele foi campeão mundial estudantial em 2012 e campeão mundial juvenil.

O revezamento da tocha começou em Paris, na França, berço dos Jogos. Foram 359 dias de viagem, por 51 cidades por todo o mundo. A chama da Universíade foi transportada em aviões, trens, carros, patins, bicicletas, entre outros. Segundo o Comitê Organizador, com um sistema único na lanterna, a chama não se apagou em nenhum momento durante seu longo percurso. Nem mesmo quando enfretou chuvas fortes ou a neve.

Na Vila dos Atletas, a tocha foi colocada no Museu da Universíade, localizado na zona internacional do complexo.

* O repórter viaja a convite da CBDU