icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
20/02/2015
12:40

Oswaldo de Oliveira comandou mais um longo treinamento na manhã desta sexta-feira, no Palmeiras. O foco da atividade foi a troca de posições no setor ofensivo, sobretudo com a chegada dos volantes à área adversária. O zagueiro Tobio, com dor no joelho, e o lateral-esquerdo Zé Roberto, com um incômodo na coxa esquerda, não participaram.

Tobio, que já não enfrentou o São Bento, no sábado passado, por desgaste muscular, até foi para o gramado. Ele fez o aquecimento com os companheiros, mas saiu pouco depois. Já Zé Roberto, que havia abandonado a atividade de quinta-feira, ficou na academia para não sobrecarregar a musculatura. Se os dois não jogarem, Jackson e João Paulo serão titulares neste domingo, às 19h30, contra o Penapolense, em Penápolis (SP).

- O Zé Roberto foi uma precaução, ele sentiu cansaço muscular porque o treino foi muito forte. Ele estando em condições de treino amanhã (sábado), vai para o jogo. O Tobio é uma recorrência, fez exames, mas julgamos que poderia participar do treino, só que hoje voltou a sentir dores no joelho. Ainda não está definido, mas se não puder jogar, entra o Jackson - disse o técnico alviverde.

No início da atividade, os titulares ficaram em uma metade do campo e os reservas, na outra. A equipe principal teve Fernando Prass, Lucas, Jackson, Vitor Hugo e João Paulo; Gabriel e Robinho; Allione, Alan Patrick e Dudu; Cristaldo. Já os reservas trabalharam com Jailson, João Pedro, Nathan, Wellington e Victor Luis; Amaral e Arouca; Maikon Leite, Cleiton Xavier e Rafael Marques; Leandro Pereira.

Oswaldo deu atenção às duas equipes, com orientações exatamente iguais. Ele fazia com que os zagueiros sempre procurassem os volantes na saída de bola, e orientou os meias a se aproximarem dos laterais para tabelar. O técnico insistia para que o centroavante saísse da área para puxar a marcação, abrindo espaço justamente para a chegada do volante. No fim da atividade, as duas equipes fizeram um coletivo convencional, e o treinador manteve as orientações.

- Sai da área, Leandro. Entra Arouca! Isso! Perfeito! - pediu o comandante, que chegou a cobrar "mais tesão" aos comandados quando notou que, por não terem adversário, eles davam passes com menos força.

- Estou procurando nesta semana dar bastante ênfase principalmente ao trabalho tático. Ontem (quinta) foram umas três horas. Como tenho certeza que vou precisar dos caras que hoje são considerados reservas, como o Cleiton, Rafael, Arouca e João Pedro, preciso passar para todos eles aquilo que considero importante que a equipe aceite e incorpore - explicou.