icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
23/07/2014
18:19

A premiação da Copa do Brasil é levemente superior a da Copa Sul-Americana, enquanto a primeira paga ao vencedor um montante de R$6 milhoes e arca com a despesa das viagens dos clubes, a segunda tem como prêmio, um valor de R$5 milhões além de não bancar as despesas. No entanto, engana-se quem pensa que a diretoria do Sport tem preferência por vencer a competição nacional. O vice-presidente de futebol do clube, Arnaldo Barros explicou a escolha pela competição continental.

- Financeiramente, as competições se equivalem. Não há uma diferença gritante entre as duas. Mas a nossa ideia é disputar um título que ainda não temos. Principalmente por se tratar de uma competição internacional - explicou o mandatário.

Na próxima quinta-feira, o Sport enfrenta o Paysandu na Ilha do Retiro. Caso avance à terceira fase, o clube irá receber R$430 mil.

- Lógico que vamos tentar passar pelo Paysandu, pois vale dinheiro e isso é importante. Até onde der, nós iremos com essa competição. Infelizmente, teremos que escolher entre a Copa do Brasil e a Sul-Americana e a nossa prioridade é a competição internacional - disse Arnaldo Barros.

De olho no prêmio, a diretoria pediu ao técnico Eduardo Baptista que escalasse força máxima para enfrentar o Papão.

- Vamos com força máxima, e se passarmos de fase, a ideia é jogar com um time reserva. Vamos poupar o grupo, pois a nossa prioridade segue sendo a Copa Sul-Americana - encerrou o cartola.