icons.title signature.placeholder Felipe Bolguese e Renato Rodrigues
26/04/2014
08:05

A imagem de Guerrero goleador, herói do Mundial no Japão, fica cada vez mais longe para o atacante no Corinthians. Gols perdidos, jejum, lesões e, recentemente, até o banco de reservas fazem parte de uma nova realidade.

O camisa 9, reserva na estreia do Brasileirão no empate por 0 a 0 com o Atlético-MG, recuperou a titularidade e iniciará o duelo contra o Flamengo, neste domingo, no Pacaembu. Foi contra o mesmo adversário que ele fez o último gol no estádio, há quase oito meses – no dia 1 de setembro. Agora, no duelo que marcará a despedida oficial do Pacaembu, ele enfrenta sua maior seca com a camisa do Timão: onze partidas.

A partir do último encontro com o Fla, o peruano fez apenas três gols em 20 partidas. O que eram gols frequentes em seu início viraram diversas sequências de jejum. Nesta temporada, ele balançou as redes apenas uma vez, na vitória por 1 a 0 sobre o Paulista, pela segunda rodada do Campeonato Paulista, no dia 22 de janeiro.

No fim de 2013, o jogador sofreu uma fratura em um osso do pé esquerdo e depois uma entorse no tornozelo esquerdo. Neste ano, ele já sofreu uma lesão no joelho direito e outra na coxa esquerda. Por isso, na reta final do Paulistão, ele perdeu a condição de titular para Luciano e assim se manteve durante o mês de preparação para o Brasileirão. Após entrar bem contra o Galo, no último domingo, ele vai ter nova chance de voltar a brilhar.

Em entrevista coletiva nesta sexta-feira, o técnico Mano Menezes garantiu que vai mantê-lo titular nos próximas partidas e, com isso, voltar a ter uma referência na área.

– Minha ideia é dar uma sequência a ele. A gente sabe como é a vida dos artilheiros. Quando a fase é boa, em função disso a confiança é muito grande, a bola entra de todas as maneiras. Você bate de lado, a bola entra. Bate de tornozelo, a bola entra. Quando demora um pouco para marcar, você bate firme, do jeito que ele bateu no domingo, e pega na perna do Victor, que é um grande goleiro, teve seus méritos. A gente sabe que a bola vai voltar a entrar e só existe um caminho para que isso aconteça: trabalhar todos os dias. A equipe entendeu o tipo de bola que precisamos colocar no Paolo, centroavante, é isso que estamos fazendo e isso que ele trabalha – afirmou o treinador.

Confira a lista completa com a relação de jogos e gols de Guerrero em sua passagem pelo Corinthians na edição deste sábado do LANCE! ou pelo LANCE! Digital, neste link aqui.

Atacantes são prioridade

A má fase de Paolo Guerrero em campo reforça a necessidade de mais atacantes no elenco do Corinthians. Diretoria e comissão técnica estão cientes disso e tratam a chegada de dois homens de frente como prioridade para o segundo semestre desta atual temporada.

- Nós estamos buscando um atacante, não para o lugar de Guerrero, mas para estar junto dele. Que nós estamos atrás de atacantes, todo mundo sabe, já falamos isso - disse o técnico Mano Menezes.

Sem grandes opções no mercado nacional e com a janela de transferências internacionais fechada, a cúpula alvinegra decidiu esperar.

Antes, chegou a tentar alguns nomes sem sucesso. O primeiro a entrar na mira foi André. O Atlético-MG, no entanto, não quis trocá-lo por Emerson e complicou. Um pouco antes de a janela fechar, o Timão sondou Mauro Zarate e Lucas Pratto, ambos do Vélez (ARG).

A última cartada foi em Rafael Sobis. O tom pela negociação era otimista e Rodriguinho, que foi para o Grêmio, estava quase certo com o Fluminense. No fim, o meia acabou no Grêmio, e os cariocas não aceitaram os valores e forma de pagamento propostos por Sobis.