icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
01/12/2013
17:59

Tite ainda não definiu onde trabalhará em 2014. O treinador, que vai deixar o Corinthians no fim desta temporada, afirmou que quer evitar ao máximo esse possível confronto no futuro.

- É difícil jogar contra as pessoas que você quer bem. Vou sentir muita dificuldade de jogar contra o Corinthians, se tiver uma oportunidade. Eu quero evitar, mas também sou um cara que respeita muitos os clubes onde trabalho. Aquele que eu trabalhar no futuro vai saber que visto a camisa, como foi em todos. Minha característica é respeitar o carinho do torcedor, isso com muito orgulho eu sempre faço - afirmou o técnico.

O treinador já avisou o empresário, Gilmar Veloz, que não pretende trabalhar no Brasil em um primeiro momento. A intenção é ficar um tempo afastado, descansando com a família. Depois, é possível que ele viaje para a Europa para fazer um curso ou então aceite algum desafio em um clube europeu ou seleção. O sonho máximo é dirigir a Seleção Brasileira após a Copa do Mundo de 2014, quando Felipão já avisou que sairá.

Apesar de não esconder a chateação de não ter o contrato renovado, ele garante que a decisão foi tomada em conjunto. O Timão optou por trazer de volta Mano Menezes para 2014.

- Não (saiu a contragosto)...Foi uma decisão de todos, nós conversamos, entendemos que era melhor. Aqui não tem anjinho e demônio. Não tem o certo e o errado. Tem o trabalho, o Corinthians na sua essência, cada um na sua responsabilidade, na sua hierarquia - afirmou.

Tite ficou pouco mais de três anos em sua segunda passagem. Ele chegou em outubro de 2010, durante o Brasileirão, e sairá em dezembro deste ano. Em entrevistas antigas, ele dizia entender que o ciclo máximo de um treinador de futebol no Brasil era três anos. Após o empate com o Inter, comentou sobre o fato de não ter conseguido mudar isso...

- Foi quase, não deu (risos). Acho que as coisas estão evoluindo. É preciso pelo menos um ano e meio no clube para ter começo, meio e fim. A tendência é melhorar. Acho que ajudei um pouquinho o futebol brasileiro, a tendência é aumentar (o tempo) um pouquinho - disse.

Emocionado, Tite agradece a torcida pelo apoio