icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
26/11/2013
17:01

Oficializado pela diretoria do Corinthians no dia 6 de junho de 2013, quando já havia a ameaça da saída de Paulinho, vendido ao Tottenhan (ING) 16 dias depois, o volante Ibson foi uma contratação contestada desde o início de sua passagem pelo Parque São Jorge. Rejeitado pela torcida em enquete feita recentemente pelo LANCE!Net, o ex-jogador do Flamengo foi uma indicação do técnico Tite, que assegura não se arrepender de ter orientado a diretoria a contratá-lo.

Sem atuar no futebol do Rio de Janeiro, Ibson treinou alguns dias no Corinthians antes de ser anunciado. Após a confirmação do acerto, entrou em campo 24 vezes, a maioria como reserva acionado por Tite, mas não conquistou a empatia da Fiel. Com a saída do técnico anunciada para o fim de 2013, e mesmo com mais um ano de contrato, o meia deve seguir o mesmo destino e buscar o futuro fora do Corinthians.

- Nessa questão do Ibson é, necessário um entendimento da situação. Primeiro: só um manager determina o valor, manda pagar e contrata. O técnico indica, sabe das virtudes e defeitos do atleta, mas há um consenso em cima de sua chegada. Se o Ibson jogasse mais tempo na posição que o treinador julga ser a melhor, renderia mais - explicou Tite, que costuma escalar o jogador na linha de três ofensiva, atrás do centroavante.

PATO É NOME PARA O FUTURO:

Maior contratação da história do futebol brasileiro (foram cerca de R$ 40 milhões pagos ao Milan), o atacante Alexandre Pato ainda não é nem titular do Corinthians. Apesar das frequentes convocações para a Seleção Brasileira, o jogador de 24 anos tem sido preterido por Tite no time titular. Segundo o comandante, que não sabe das preferências de Mano Menezes para escalar o Timão em 2014, Pato é um nome para o futuro da equipe.

- O Pato vai dar um retorno maior. Já deu em tempo de jogo e gols, mas vai precisar de um tempo maior de adaptação porque estava há muito tempo fora do futebol brasileiro.