icons.title signature.placeholder Rodrigo Vessoni
11/11/2013
09:05

Como não poderia ser diferente, Alexandre Pato foi o tema principal da entrevista coletiva de Tite após a vitória do Corinthians sobre o Fluminense, por 1 a 0, na cidade de Araraquara (SP), no domingo, em jogo válido pelo Campeonato Brasileiro.

Apesar do esforço para tentar falar sobre a equipe, o treinador comentou a decisão do atacante de cobrar a penalidade nos minutos finais, definindo o triunfo alvinegro. E não escondeu o alívio pela decisão do camisa 7 de não repetir a cavadinha dada na Arena do Grêmio.

– Douglas e Renato, que eram os primeiros a bater, não estavam mais em campo. Romarinho, aos 22 anos, com cãimbra, tinha o peso. Ele (Pato) correu para a bola eu pensei comigo mesmo: "Apenas bata do jeito que está acostumado, errar ou acertar é do jogo, é do esporte, mas não pode fazer como foi daquela forma que fez" – afirmou o treinador, que ainda revelou uma consulta com o lateral Alessandro.

– Momento era decisivo, porque precisava dar resposta, ele teve coragem e teve o treinador que assumiu junto. Teve apoio do Emerson, do Alessandro, que eu chamei de lado para colocar algo e ele disse que era, sim, o melhor batedor. Ele teve todo esse amparo. Ninguém deixou de cobrar o erro que cometeu, mas também ninguém o crucificou. A jogada o premiou. A capacidade de finalização dele é forte – completou Tite.

O treinador do Corinthians fez questão de elogiar a coragem do árbitro André Luis de Freitas Castro, de Goiás, pela marcação do pênalti no último lance, que foi decisivo.

– Ele teve culhão – afirmou.