icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
08/02/2015
21:31

O jeito sereno das coletivas ficou mantido, mas era possível perceber que internamente Tite estava extremamente orgulhoso do que viu durante os 90 minutos do clássico. O treinador do Corinthians fez questão de lembrar a maneira que saiu o gol alvinegro, com uma pressão no adversário que sempre é cobrada e treinada no CT durante a semana.

- Não retiro a observação da importância de Danilo, mas a ação que determinou a vitória foi a marcação pressão alta e o gesto agressivo do Petros. Depois ficou mais fácil para ele (Danilo). Merece todos os elogios, mas ganhou um docinho naquela ali - afirmou o técnico que, assim como fizeram seus comandados, enalteceu a postura da equipe após ficar com um jogador a menos.

- O maior orgulho que tenho hoje é saber que os atletas entraram e produziram o que normalmente produzem num treinamento, mesmo não tendo o ritmo de uma sequência de jogos. Quando você tem ritmo forte no treinamento, transpõe isso para o jogo. Tivemos oportunidades para ter a consistência da vitória. Poderia ter tomado um gol? Poderia. Mas poderia ter feito mais pelas oportunidades que surgiram - lembrou o comandante.

Tite não quis comentar muito sobre a expulsão de Cássio, afirmando que preferiria acompanhar o lance pela televisão antes de opiniar. Mesmo assim, lembrou que Fábio Santos e Guerrero deram margem para o árbitro expulsá-los contra o Once Caldas.

- O vestiário ferve, a cabeça fica a milhão. Conversei com o Cássio, ele olhou e disse: “Eu não vi a bola. Dou minha palavra”. Independentemente disso, quando toma cartão você apressa mais os movimentos para não dar a interpretação de que está desafiando o árbitro. O Cássio não viu a bola - lembrou.