icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
02/11/2013
09:01

Com 0,5% de chances de se classificar para a Libertadores mesmo em caso de G5, como afirmou o matemático Tristão Garcia ao LANCE!Net, o Corinthians ainda não jogou a toalha no Brasileirão. Apesar de concordar com a necessidade de se atingir uma "zona de segurança" antes de pensar em vaga na competição continental, o técnico Tite ainda visualiza uma esperança.

- O que mexe com o grupo é a possibilidade real, de sete jogos, de reconduzir a equipe, reestruturar e consolidar essa tática. É uma decisão contra o Vitória, no domingo, uma partida para entrar na zona de segurança e a partir daí pensar em algo maior. Essa projeção é da direção, que tem essa responsabilidade - explicou Tite após o treinamento de sexta-feira, quando definiu o time titular para a partida em Salvador.

Com Romarinho de volta ao time titular após cumprir suspensão no clássico contra o Santos, o Timão traçou o objetivo de atingir 46 pontos e se livrar, matematicamente, do risco de rebaixamento. Só depois disso será discutida a renovação de contrato do técnico Tite e o planejamento para 2014. O risco de queda do Corinthians é inferior a 1%, do mesmo modo que a probabilidade de conquistar vaga na Libertadores.

- Uma vitória faz o time entrar nessa zona de segurança, e depois é vislumbrar outras perspectivas - disse o treinador, antes de completar lembrando como a equipe agiu em 2012.

- Para chegar ao Mundial com tranquilidade, queríamos ter bom rendimento nas últimas seis rodadas e viajar bem em relação a isso. Chegamos a um nível de segurança e fizemos isso até ir para o Japão.