icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
31/03/2014
07:00

A única certeza que Jayme de Almeida tem é a de que não irá dormir nas longas horas de voo até chegar ao Equador. O técnico, que embarca nesta segunda-feira pela manhã com a delegação rubro-negra para Guayaquil, terá de quebrar a cabeça para tentar amenizar os cinco desfalques que o time tem para o decisivo jogo contra o Emelec (EQU), na quarta.

O drama do treinador foi confirmado após a partida contra a Cabofriense, no sábado, pelo Carioca. Depois de ter garantido o Fla na final da competição, Jayme teve a certeza das ausências para a viagem. Cáceres, que segue se recuperando de uma luxação no ombro, já estava cortado do duelo há tempos. Porém, Léo Moura, Léo, Elano e André Santos, que foram poupados das duas partidas da semifinal do Estadual, aumentaram a lista de problemas do comandante.

E MAIS
- Mesmo com dor e medicado, Brocador viaja para o Equador cheio de raça
- Soberano! Flamengo venceu as últimas sete decisões de Estadual

Sem poder contar com os dois laterais-direitos inscritos para a Libertadores, Jayme tem três opções de improviso para a posição: o jovem volante Recife, o meia Gabriel e o atacante Paulinho.

– Estou satisfeito com o Recife, mas ainda não decidi quem vai jogar na lateral direita. Tem o Gabriel e o Paulinho também – comentou o treinador, após o jogo de sábado.

Se há dúvida no lado direito, o substituto para a outra lateral já está definido. João Paulo, que fez um gol contra a Cabofriense, é o escolhido. Além dele, Amaral é outro que está confirmado. O volante é o suplente imediato de Cáceres.

Para a vaga de Elano, o óbvio seria a entrada de Mugni, que fez dois gols no sábado. O argentino, entretanto, deixou a semifinal sentindo dores na panturrilha direita. Ainda não se sabe se o meia terá condições de jogar na quarta-feira.

Outra incerteza para o confronto diante do Emelec é no ataque. Hernane sofreu uma pancada nas costas e também segue como dúvida.