icons.title signature.placeholder Bruno Cassucci, Gabriel Carneiro e Russel Dias
26/03/2014
07:04

Aranha foi o melhor goleiro do Campeonato Paulista de 2008, mas não conseguiu o título que marcaria a história da Ponte Preta. Dois anos depois, assegurou sua primeira conquista estadual pelo Atlético-MG, mas não chegou a ser titular em todos os jogos da campanha. Liberado para o Santos em 2011, só virou titular no fim do ano passado, e agora espera ser peça-chave na fase de mata-mata que começa nesta quarta-feira, às 19h30, contra sua "velha" Macaca.

– O rótulo de reserva te diminui o potencial e só me deixaram jogar pelo Santos agora, há pouco tempo. Sempre fui muito honesto, muito trabalhador e por onde passei fiz um bom trabalho – afirmou o jogador mais experiente do time titular do Peixe, com 33 anos de idade, ao LANCE!Net.

Aranha é campeão paulista de 2011 e 2012 como jogador do Santos, mas nas duas vezes permaneceu só como opção para o titular Rafael, que acabou negociado no meio do ano passado com o Napoli, da Itália.

Após alguns jogos no segundo semestre de 2013, iniciou o Paulistão como titular e sofreu apenas 11 gols em 13 partidas da primeira fase – Vladimir, em dois jogos, levou cinco.

Do mesmo modo que os Meninos da Vila, como Gabriel e Geuvânio, o experiente goleiro vive a expectativa de seu primeiro título como titular, mas prefere esconder o nervosismo e dividir as responsabilidades.

– Não interessa se você tem 15 anos ou tem 40. A gente já viu caras experientes, com idade avançada, decidindo campeonato e também falhando. Como também já vimos garotos novos, como o Neymar, que já decidiu vários títulos aqui – lembra Aranha, que agora já não tem a companhia da Joia em busca da taça.

Pelo Santos, Aranha já chegou a três decisões de Campeonato Paulista, mas todas sentado no banco. Agora como titular, espera manter a boa fase. E, principalmente, não desperdiçar a confiança do torcedor na brilhante campanha alvinegra no Paulistão deste ano até aqui.

– Não fui menos campeão estando na reserva, mas agora é um próximo passo. Com os pés no chão, claro.

BATE-BOLA COM ARANHA, GOLEIRO DO SANTOS, AO LANCE!NET

Ser o mais experiente do time te traz responsabilidades a mais?
É igual para todos. Idade só influencia no momento de passar tranquilidade para aqueles que não têm tanta experiência assim.

E você assume esse papel?
Sim, mas não só eu. Tem muito garoto com pouca idade, mas com experiência. Você vira referência e ganha confiança naturalmente.

Como tem sido esse começo de ano, agora como titular da equipe?
Se eu disser que agora é mais importante do que quando eu era reserva, vou dizer que os meninos podem ser menos campeões, e isso não é justo. Todo mundo ganha.

Está ansioso pelo título?
Os mais jovens têm essa pressão tanto quanto eu. Já tenho alguns títulos na carreira e sei direcionar essa ansiedade, que é natural.

Está bem em caso de pênaltis?
Espero acordar em um bom dia, porque a cabeça é que define. Se vierem os pênaltis, eu vou ter toda a tranquilidade que for possível.