icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
07/11/2013
13:23

A classificação do Atlético-PR para a decisão da Copa do Brasil confirmou uma tendência dos últimos anos: a capacidade dos times paranaenses de chegar à final da competição. Depois do Coritiba em 2011 e 2012, agora é a vez do Furacão.

Diante do Flamengo, o time rubro-negro tem a chance de superar o rival, que bateu na trave nas duas ocasiões, diante de Vasco e Palmeiras, mesmo fazendo o segundo jogo no Couto Pereira. Agora, o time paranaense fará o primeiro jogo em casa e vai tentar mudar o quadro recente para os times do estado.

- Os times foram se tornando mais visionários. Começou-se a pensar no futuro. O planejamento a longo prazo vem trazendo resultados, apesar da quedas no meio do caminho. A saúde financeira tem dado reflexo positivo - comentou Roberto Lourenço, do jornal "Gazeta do Povo", de Curitiba.

Com esquemas táticos que exploram bem a velocidade ofensiva, o Coxa de Marcelo Oliveira e o Furacão de Vagner Mancini deram muito trabalho aos adversários nas edições da Copa do Brasil.

- Nas três finais, os times não têm estrela. São equipes rápidas e, em média, jovens. No caso do Atlético, o time foi montado para a Série B do ano passado e conseguiu subir. Essa mesma equipe evoluiu, com uma aquisição ou outra - completa Roberto, apostando em um melhor preparo do Atlético-PR em relação ao Coxa:

- Existe uma cautela ainda, mas todos acreditam que podem ganhar. O time parece ser mais constante do que o Coritiba, porque vem bem nas duas frentes (Brasileiro e Copa do Brasil). Mas o mais importante é o crescimento do futebol do Paraná. Não somos mais uma força qualquer.

O Atlético-PR vai tentar confirmar isso a partir do dia 20 de novembro, na Vila Capanema, no primeiro jogo da decisão contra o Flamengo.