icons.title signature.placeholder Jonas Moura
13/06/2014
19:03

Os últimos meses têm sido de frequentes mudanças de planos para o tricampeão olímpico José Roberto Guimarães. Depois de anunciar que se dedicaria exclusivamente à Seleção Brasileira, o técnico agora se vê diante de uma proposta do Dinamo Krasnodar, da Rússia, onde jogarão a ponteira Fernanda Garay e a levantadora Fabíola na próxima temporada. Ao mesmo tempo em que vê a possibilidade com bons olhos, por se tratar de uma das grandes forças do vôlei mundial, o comandante tem certo receio pela questão da adaptação ao país.

– Não tenho uma decisão tomada. Meu foco principal agora é a Seleção. Não sei sinceramente o que vai acontecer. É um grande time, tem a Fabíola e a Garay, mas seria muito difícil ficar permanentemente na Rússia – disse Zé Roberto.

Na última Superliga Feminina, o treinador esteve à frente do Vôlei Amil, equipe projetada por ele em 2012 e que terminou a competição em quarto lugar. Ao fim da temporada de clubes, a ideia era deixar o cargo para seu assistente Paulo Coco, tornar-se apenas um consultor do time e concentrar as atenções na Seleção, que tenta este ano o título inédito do Campeonato Mundial, além do tri olímpico no Rio de Janeiro, em 2016.

– Não me sentia bem jogando contra as atletas, porque passamos seis meses juntos, então a ideia era focar só na Seleção – disse.

Ao aceitar ser exclusivo, Zé também acataria um desejo dos dirigentes da Confederação Brasileira de Vôlei (CBV). Mas a intenção de não comandar clubes no restante do ciclo até a Olimpíada ficou para trás em razão dos recentes acontecimentos. De quebra, o Vôlei Amil encerrou suas atividades e agora busca novos patrocinadores.

Os russos vêm mantendo contato frequente com Zé Roberto nos últimos dias e esperam até a próxima semana pela resposta definitiva. Dentre os destaques do Dinamo, estão a ponteira russa Sokolova e a ponteira cubana Calderón, grandes algozes da Seleção Brasileira na história.