icons.title signature.placeholder Carlos Alberto Vieira
23/06/2014
09:58


As especulações de que a seleção americana poderá fazer um jogo entre amigos diante da Alemanha, já que o empate classificará as duas  para as oitavas de final da Copa do Mundo, foram rechaçadas com veemência pelos jogadores e também pelo treinador Jurgen Klinsmann. Um dos mais veementes foi o meia Bradley. Ele chegou a se sentir insultado quando questionado sobre o assunto.

- Tem certeza que você está me perguntando isso? Somos americanos e nosso pensamento é buscar sempre a vitória. Pegue uma situação recente. Nas Eliminatórias  enfrentamos o Panamá em um jogo que não valia mais nada para nós e era tudo para eles, que jogavam em casa. Vencemos e quem se classificou foi o México. Serve como resposta?

Klinsmann, por sua vez, foi metralhado sobre a situação durante a entrevista. Treinador da Alemanha na Copa de 2006, ele disse que não passa na cabeça de ninguém um resultado arranjado:

- Não vai ter nada disso. Os times querem ganhar e veremos uma partida empolgante. Se ocorrer o empate, que é uma das três possibilidades de resultado, será como vimos diante de Portugal, quando os dois times se doaram e o gol que definiu o empate saiu no último segundo.

O fato de que ele é alemão e o seu país já tem um histórico de ter participado de uma partida considerada vergonhosa - na Copa de 1982 venceu a Áustria por 1 a 0 quando este era o único resultado possível para classificar as duas seleções -  o treinador reagiu:


- Vocês falam de um jogo que aconteceu há decadas, que faz parte da história da Alemanha e não dos Estados Unidos, que darão tudo de si. Vamos entrar com ambições, nada de amizades. Isso aqui é um negócio e vamos entrar para ganhar. E pode ter certeza de que no lado alemão o pensamento é este também.