icons.title signature.placeholder Bruno Andrade
20/02/2015
17:15

Com o impasse envolvendo a renovação de contrato com a Caixa Econômica Federal, o Corinthians poderá fechar fevereiro sem arrecadar R$ 2,5 milhões com o patrocínio principal, mesmo tendo deixado a marca do banco na camisa do time depois do encerramento oficial do vínculo, no fim de janeiro deste ano.

A expectativa do Timão era bater o martelo da renovação com a Caixa no último dia 12, com os mesmos números do antigo acordo: R$ 30 milhões por 12 meses. As conversas não se concretizaram, mas o departamento de marketing do clube, agora sob o comando do publicitário Marcelo Passos, segue confiante de que o novo contrato será assinado até o fim do mês.

Enquanto negocia a manutenção da parceria, o Corinthians espera também recuperar o "valor perdido" do mês de fevereiro, que, segundo alguns dirigentes alvinegros, poderia ser pago de forma retroativa (ou diluído em pagamentos posteriores) pelo banco. Mas, oficialmente, ninguém da diretoria está autorizado a dar qualquer detalhe da negociação.

O LANCE!Net apurou que a demora na renovação com a Caixa Econômica Federal não tem ligação com possíveis atrasos de CNDs (Certidões Negativas de Débito), documentos emitidos pelos órgãos públicos declarando que uma determinada empresa não possui débitos ou pendências com aquele órgão na data de sua emissão. Elas estão em dia.