icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
11/02/2015
23:57

O destino já estava escrito quando a bolinha do sorteio da Conmebol caiu no Grupo 2. Haverá, sim, o primeiro Corinthians x São Paulo pela Libertadores na história. O superclássico está marcado para a próxima quarta-feira, após o Carnaval (se é que corintianos e são-paulinos pensarão em folia), na Arena Corinthians.

Parece mesmo coisa do destino o principal rival dos últimos anos aparecer pela frente na "estreia" da nova casa no torneio sul-americano. Seria uma tragédia para Tite repetir o filme do Tolima, algoz de 2011, se caísse para o Once Caldas na primeira fase de 2015. Seria tragédia ainda maior ir para Manizales com uma vantagem de 4 a 0 na ida e não voltar para casa com a vaga. E esse Corinthians, do novo-velho-multicampeão treinador, que retornou nesta temporada, parece não dar brechas ao acaso. Nesta quarta, no estádio Palogrande, um empate por 1 a 1 garantiu ida à próxima fase.


Jogadores comemoram gol de Elias no Estádio Palogrande (Foto: Rodrigo Coca/Ag.Corinthians)

O time da casa já não havia aproveitado a vantagem de ter um a mais em boa parte do primeiro jogo, quando Guerrero foi expulso. Nesta noite, seguiu coadjuvante. A torcida organizada, batizada de "Holocausto Norte Zona Once", cantou o tempo inteiro. Deu a impressão de que, se o estádio estivesse cheio, a pressão seria grande. Mas lá estavam cerca de 10 mil desacreditados.

Aos 14 minutos, o Once teve sua primeira chance, em uma cobrança de falta despretensiosa de Henao, que caiu na rede de cima do gol de Cássio. No mesmo minuto, Sheik e Jadson tabelaram, o camisa 10 encontrou Elias e o volante entrou na área e tocou por cima de Cuadrado. Gol de quem está de volta após um 2014 apagado. Gol de quem gosta, acima de tudo, de se dar bem contra o São Paulo.

Rei dos Majestosos, Danilo foi o homem mais adiantado do ataque. Se voltar pro banco, não importa. Ele é decisivo. Jadson, que está liberado para atuar diante do São Paulo neste ano, foi um dos destaques do jogo. Também estará cheio de vontade de reencontrar o desafeto Muricy Ramalho, que o deixou encostado na equipe tricolor. Cássio, que já pegou pênalti de Rogério Ceni, fechou o gol com defesas plásticas em Manizales.


Antes de um minuto do segundo tempo, bola no travessão corintiano e Ralf salvando gol em cima da linha. Gil havia saído no intervalo, com dores na panturrilha direita, substituído por Edu Dracena. Mudança em uma zaga que chegou a 494 minutos sem sofrer gol, até que Arango, vaiado e xingado após errar tudo e mais um pouco no primeiro tempo, driblou Fagner e bateu com classe para empatar o jogo.

O Once diminuiu o ritmo e se contentou em não perder na frente de sua torcida. Com o papel cumprido, o Timão ainda se deu ao luxo de perder um gol com Jadson, na cara de Cuadrado. Já estava tudo liquidado, desde o jogo em São Paulo.

O que importa mesmo é que falta menos de uma semana para o Majestoso.

FICHA TÉCNICA
ONCE CALDAS (COL) 1 X 1 CORINTHIANS

Local: Palogrande, Manizales (COL)
Data-Hora: 11/2/2015 - 22h (de Brasília)
Árbitro: Dario Ubriaco (URU)
Auxiliares: Miguel A. Nievas e Carlos Pastorino (URU)
Público/Renda: Não disponíveis
Cartões amarelos: Penco e Moreno (ONC)
Gols: Elias, 14'/1ºT (0-1); Arango, 12'/2ºT (1-1)

ONCE CALDAS: Cuadrado; Piedrahita, Moreno, Camilo Pérez e Quintero; Henao (Valoy, 26'/2ºT), Díaz (Lopera, intervalo), Arango e Patricio Pérez; Arias (Romero, 26'/2ºT) e Penco. Técnico: Flabio Torres

CORINTHIANS: Cássio, Fagner, Felipe, Gil (Edu Dracena, intervalo) e Uendel; Ralf, Elias, Jadson (Petros, 32'/2ºT), Renato Augusto e Emerson Sheik; Danilo (Luciano, 41'/2ºT). Técnico: Tite