icons.title signature.placeholder Caio Carrieri, Eduardo Mendes, Maurício Oliveira e Thiago Salata
03/07/2014
16:24

Ao lado de Luiz Felipe Scolari, o capitão Thiago Silva esteve no Castelão na tarde desta quinta-feira. Após quase uma semana em que foi criticado das mais diversas maneiras por causa de seu comportamento antes da disputa de pênaltis com o Chile, o zagueiro alegou não ter dado muito importância. Chorando, Thiago sentou numa bola e não falou aos jogadores na roda que antecedeu as cobranças.

- Não tenho nada engasgado, pelo contrário. Não escutei muitas coisas, mas é mais natural esse tipo de pressão, comentário. Não vai me ajudar em nada, em termos psicológicos estamos bem. Quando a gente se entrega pelo que a gente ama, o que tive foi descarregar. A pressão foi grande para ganhar, eu me entrego de corpo e alma. Não tem como não se emocionar. Mas a equipe está tranquila nesse aspecto - afirmou o zagueiro.

- Quando essas coisas são ditas, você tem de olhar para o lado (apontando a Felipão). O meu comandante em nenhum momento questionou minha atitude. Ninguém me conhece, não sabemos como eu sou. O Marin me ligou, almoçou com a gente, falou para eu estar tranquilo. Tenho caráter, sou emotivo, me emociono... É a coisa mais natural. Vejo por outro lado, isso não me atrapalha em nenhum momento no campo. As pessoas falam algumas bobagens. Eu já corri riscos de vida, sou campeão dentro e fora de campo. Tenho o respeito de todos. Não é generalizar, a imprensa é dividida nisso. A gente precisa de apoio, nada negativo vai entrar para nos puxar para baixo - completou.

Felipão chegou a interromper Thiago e lembrou de um episódio na Eurocopa de 2004, com Portugal, quando seu capitão Luis Figo não assistiu às penalidades contra a Inglaterra.

- Quero relatar experiência que eu vivi. Todos aqui já ouviram falar de um senhor maravilhoso, Luis Figo. No Euro de 2004, contra a Inglaterra, eu o tirei aos 22 do segundo tempo, coloquei Postiga. Empatamos. Figo ficou no vestiário. Houve pênaltis. O Figo ficou em frente à Nossa Senhora de Fátima rezando. Cada um tem uma atitude. Um ajoelha, outra beija santa, como eu, poderíamos respeitar individualidades. Isso não faz o time melhorar ou piorar. Com o Figo, ficou impressão que ele estava chateado. Não era isso - disse Scolari.