icons.title signature.placeholder Bruno Cassucci
12/04/2014
07:07

Os dias têm demorado a passar para os santistas desde o último domingo. A ansiedade para a finalíssima do Paulistão, contudo, não é “privilégio” dos torcedores. Apesar de ser um dos mais experientes do jovem elenco alvinegro, o atacante Thiago Ribeiro, de 28 anos, sofreu nesta semana. O duelo contra o Ituano não saiu da cabeça, as noites de sono não foram tão bem dormidas e o tempo demorou a passar. Agora, ele comemora: falta pouco para o grande dia!

– Eu até dormir, só que acordei duas ou três vezes durante a noite. Desde que perdemos o primeiro jogo, por exemplo, durmo e acordo pensando na final. Essa semana acordei  algumas vezes durante a noite. Dormi, mas não foi um sono normal. Agora eu já estou feliz, está chegando a hora da partida – afirmou o jogador, ao LANCE!Net

Thiago, porém, faz questão de ressaltar que ansiedade nada tem a ver com nervosismo. Quando a bola rola, a tensão vai embora e é hora de fazer o que se sabe melhor.

Além disso, o ponta-esquerda do Peixe mostra confiança na virada. Durante a entrevista ao L!Net, ele repetiu em quase todas as perguntas que a postura do time será diferente da primeira decisão no Pacaembu e prometeu a equipe “a 200km por hora”. No entanto, sem confundir motivação com afobação.

– A gente tem que se divertir, jogar futebol e o resultado vai sair naturalmente. O torcedor pode e tem motivos para acreditar na gente.


Um dos motivos que faz Thiago acreditar na virada é o clima vivido no vestiário santista. Segundo ele, o ambienta agora lembra o que ele vivenciou em 2011, pelo Cruzeiro. Na ocasião, a Raposa também perdeu a primeira final do Estadual por 1 a 0 para o Atlético-MG, mas conseguiu vencer o segundo jogo e sagrar-se campeã mineira.

- Estou sentindo todo mundo motivado, confiante no título. Tenho certeza que vamos fazer um grande jogo e conseguir reverter.

Atacante coloca Santos como o melhor time do Paulista



Se no passado a torcida alvinegra sempre apostava em seu camisa 11, Neymar, agora Thiago espera também não decepcionar e manter a recente tradição do número. O atacante diz que pode chamar a responsabilidade para si, mas não se importa de marcar ou não neste domingo. Segundo ele, o gol pode ser até de quem menos se espera...

– Vale até do Aranha! O importante é ganhar e levar a taça!

‘Tiozinho’ dá força a jovens

Depois de técnico e psicóloga admitirem que os mais jovens sentiram a pressão na primeira final, Thiago Ribeiro assumiu o papel “professor” no time santista.

Aos 28 anos, ele é o atacante mais velho do clube, e não quer que ver os alvinegros em dúvida.

– Estamos falando com os mais novos, passando confiança. Eles tem que fazer o que sabem. É uma final, mas tem que jogar da maneira que sempre jogou. Drible, chute, se precisar. Não pode ficar em dúvida – explicou o jogador.

Título paulista será para filha

Quando negociou seu retorno ao Brasil, no ano passado, Thiago Ribeiro enfatizou que ficar perto de sua filha de três anos era um dos grandes motivos para deixar o Cagliari (ITA). Agora próximo da pequena Milena, o camisa 11 não terá a filha amanhã no Pacaembu, mas avisa que dedicará o título paulista, se vier, a ela.

– Ela está em Florianópolis. Mas desde que eu voltei estou a vendo com frequência, ela sempre passa muitos dias comigo. Isso é bom, mas como ela estava comigo até esses dias, na final, domingo, não vai estar presente. Espero, se Deus quiser, conquistar o título e oferecer esta conquista para ela – afirmou o jogador santista.


Bate-Bola com Thiago Ribeiro, atacante do Santos, em entrevista ao LANCE!Net, no CT Rei Pelé

Depois de três anos, você pode voltar a ganhar um titulo. Como está se sentindo para a decisão?
Muito bem. Ganhar títulos é sempre bom. Vencer é uma emoção grande, mas, ao mesmo tempo, uma satisfação de olhar para trás e ver que não é fácil. São muitas equipes em condições de conquistar e só um ganha. Pelo campeonato que a gente fez até aqui, seria mais do que justo ganhar o título. Estamos com desvantagem de um gol, temos totais condições de reverter e vamos em busca disso.

Você mostra muita confiança...
O que nos faz acreditar muito em reverter o placar é o potencial que a gente tem, tudo que fizemos no campeonato. Se tivesse mais ou menos, poderia criar uma dúvida. Mas todos que acompanham sabem que o Santos pode reverter. E na final não jogou o que pode.

Por que não jogou?
Difícil falar. Acredito que a gente não entrou ligado 100% como tem que ser em uma final, entrou meio desligado. Além de não jogar, deu muito espaço para o Ituano.

Houve excesso de confiança?
Pode ser um pouco de tudo. Só que foi só o primeiro. Perdemos pelo placar mínimo, que é totalmente reversível. Com certeza nesse segundo jogo o Santos vai voltar a jogar nosso futebol, estaremos mais ligados, com o dobro de atenção.

Acha que o título pode ser o primeiro passo para se tornar ídolo?
Quero gravar meu nome na história, e isso vem com conquistas.