icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
28/04/2014
15:19

Depois do empate do Santos com o Coritiba por 0 a 0, fora de casa, em partida em que Leandro Damião foi substituído no intervalo, o assunto mais comentado na Vila Belmiro passou a ser a atuação do camisa 9. Em entrevista à rádio ESPN, Thiago Ribeiro, um dos líderes do grupo, chegou a fazer comparações entre o centroavante e Alexandre Pato, e defendeu seu companheiro de clube quanto às cobranças sobre seu futebol.

- No futebol, a gente que está há um bom tempo sabe que isso (pressão) é normal, ainda mais em clube grande como o Santos. Quando os resultados não aparecem, é claro que a cobrança vai existir. É normal, pelos valores da negociação (R$ 42 milhões) essa cobrança. Foi assim com o o Pato no Corinthians. Fica tudo dimensionado de maneira bem maior - disse Thiago, em relação as críticas que seu companheiro de ataque vem recebendo.

Assim como Damião para o Peixe, Pato foi alvo de grande esforço financeiro do Corinthians no fim de 2012. O Timão pagou cerca de R$ 40 milhões ao Milan pelos direitos do atacante, que marcou 17 gols e não conseguiu render o esperado. Neste ano, quando se tornou alvo principal das críticas da torcida, o atleta foi emprestado ao São Paulo, que paga apenas metade dos salários do jogador.

Há quatro jogos sem balançar as redes pelo Peixe, Leandro Damião chegou a dar explicações na saída do gramado do Couto Pereira sobre sua má fase, e a justificativa foi de que "a bola não chegou". De fato, o centroavante só chutou uma vez ao gol. Contra o Sport, uma rodada antes, conseguiu seis chances para finalizar, mas não marcou.

Com tranquilidade, Thiago Ribeiro colocou panos quentes na pressão sobre o Bigode Grosso. Segundo ele, o momento é normal, e o desempenho do time também não ajuda, ao menos no Campeonato Brasileiro, o atacante a conquistar a torcida.

- Futebol é esporte coletivo, na minha opinião o nosso coletivo não está produzindo o que vinha produzindo na temporada. Quando o coletivo cai, claro que os jogadores que vinham se destacando também caem. O principal é o coletivo estar forte. Aí a qualidade do Damião vai aparecer, do Gabriel, do Geuvânio, a minha, do Cícero. Não é o mesmo nível do antes, as apresentações não foram tão boas. O Damião tem que ter tranquilidade - finalizou.

No Brasileiro, o Santos estreou com um empate por 1 a 1 contra o Sport, dentro de casa, e ficou no 0 a 0 contra o Coritiba, fora. Seu próximo desafio é contra o Grêmio, no sábado, na Vila Belmiro.