icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
20/11/2013
17:22

Eleita pelo Comitê Olímpico Brasileiro (COB) a melhor atleta do vôlei em 2013, a central Thaisa mostrou-se suspresa com a escolha. No dia 17 de dezembro, em São Paulo, ela vai receber o Prêmio Brasil Olímpico, entregue todo final de ano pela entidade aos destaques do esporte no país. Na visão da jogadora, o que pode ter contribuído para a decisão foi o seu desempenho no Grand Prix, em agosto, quando ela foi um dos principais nomes do time de José Roberto Guimarães e terminou a competição como a MVP (jogadora mais valiosa).

— Fiquei muito surpresa quando soube da notícia, porque é muito difícil uma central ter bastante destaque, já que normalmente somos mais utilizadas para auxiliar nas jogadas. No Grand Prix, pontuei bastante, e o fato de ter sido eleita a melhor jogadora da competição talvez tenha influenciado na escolha. Eu estou muito feliz e agradeço muito ao meu clube, pois se eu não tivesse o suporte do Molico/Osasco eu não seria nada na Seleção — disse a atelta.

Se na Seleção Brasileira os grandes objetivos de Thaisa para 2013 já foram alcançados, falta agora a conquista da Superliga pelo time de Osasco. Por isso, ela garante motivação é o que não falta, mesmo depois do prêmio. Pelo contrário, afirma que a responsabilidade só aumenta a partir de agora.

— Quando soube que ganhei, fiquei ainda mais motivada para voltar a jogar e fazer jus ao prêmio. Eu quero terminar esse ano e essa temporada melhor do que comecei. Algumas pessoas quando ganham um prêmio importante acabam se acomodando, mas no meu caso será ao contrário, porque eu sempre busco e quero mais. Agora eu quero entrar em quadra e mostrar que mereci. Sei que de hoje em diante as pessoas ficarão ainda mais de olho em mim e nas minhas atuações e que serei mais questionada quando não jogar bem. Esse tipo de prêmio aumenta a responsabilidade de se manter bem ou até melhor — disse.