icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
16/03/2014
16:37

Com direito a show de cores e criatividade, a Rússia fechou com chave de ouro, neste domingo, as Paralimpíadas de Sochi. A festa aconteceu no Estádio Olímpico e teve como mensagem central a superação dos atletas durante os 10 dias de disputas paralímpicas.

O ápice da festa foi retratada por um imenso "tabuleiro humano" de tetris, que formou a palavra "Impossible" (impossível, em português). Na sequência, o cadeirante russo Aleksey Chuvaneshev, atleta do remo, subiu em uma corda com a força dos braços e transformou a palavra em "I'm possible" (eu sou possível, em português).

- Os Jogos de Inverno jogaram um calor no mundo e mostraram uma Rússia moderna. Tenho certeza que esses Jogos empolgaram e motivaram pessoas de todo o planeta. Dizemos até logo, até mais, sejam bem-vindos à Rússia - disse Dmitry Kozak, vice-primeiro ministro da Rússia, encerrando os Jogos Paralímpicos de Inverno.

Na cerimônia de despedida das 46 nações ao público russo, Fernando Aranha, atleta do esqui cross country, foi o responsável por carregar a bandeira brasileira. Ele foi acompanhado do compatriota André Cintra, que competiu na prova de snowboard cross. Eles foram os primeiros brasileiros a participarem de uma Paralimpíada de Inverno.

A cerimônia também exibiu mensagens de paz no dia em que a Crimeia, região da Ucrânia e fonte de uma crise entre russos e ucranianos, vota para decidir se a área segue sob o domínio da Ucrânia ou passa a pertencer ao território russo.

Ao fim da festa, a bandeira paralímpica foi passada para cidade sul-coreana de Pyeongchang, que receberá os Jogos em 2018.