icons.title signature.placeholder Fellipe Lucena
16/04/2014
07:00

Audinei Azevedo, investidor que tenta ajudar o Palmeiras a contratar Moreira, do Libertad (PAR), virou protagonista da novela em que se transformou a busca pelo lateral-direito paraguaio. Ele topou bancar 100% da compra, deixando só os salários a cargo do Palmeiras. 

Agora, tenta diminuir a pedida do clube paraguaio e do fundo de investimentos representado por Paulo Reichardt, que dividem os direitos econômicos. Eles pedem ao todo US$ 1,5 milhão (R$ 3,3 milhões) e a proposta de Audinei tem valor inferior. Se o negócio sair, o Verdão ficará com 20% do valor de uma futura venda. O investidor terá todo o resto.

É a terceira estratégia diferente na negociação. Em dezembro do ano passado, Verdão e investidor combinaram de dividir igualmente os gastos da compra, mas o clube recuou por causa dos valores. Em janeiro, Audinei se propôs a bancar todo o valor, desde que Roniery, lateral-direito do Paraná que pertence ao seu grupo de investimentos, também jogasse no Palmeiras, que recusou – o jogador acertou com o Bahia.

- O Palmeiras pagaria 50% do Moreira, mas acho que gastou o dinheiro comprando o Leandro. Agora o Brunoro (diretor-executivo alviverde) me falou que ele só virá se eu pagar os 100%. Estou negociando. Ele tem 70% de chance de jogar no Palmeiras, e está fazendo de tudo para isso acontecer - disse o investidor, em entrevista ao LANCE!Net.

Palmeiras e jogador já se acertaram. Moreira assinaria inicialmente um contrato de duas temporadas (limite máximo para estrangeiros), com renovação automática por mais uma. Ele chegaria recebendo US$ 25 mil (cerca de R$ 55 mil) mensais, com reajuste de US$ 10 mil a cada ano de clube, além de produtividade.

Ao Verdão, portanto, só resta torcer para que a proposta do investidor seja aceita e para que nenhum concorrente lhe dê um chapéu. Audinei Azevedo desconsidera a chance de o lateral ir para a Alemanha, alardeada pelo fundo que detém parte de seus direitos, mas diz que outros brasileiros já manifestaram interesse. O risco é se algum deles estiver disposto a abrir o bolso para a compra.

- Ele virá ao Brasil e a nossa prioridade é o Palmeiras, que está negociando há meses - disse Azevedo.

A janela de transferências internacionais reabre no dia 14 de julho. Moreira pode até desembarcar no Verdão antes, mas só poderá jogar após esta data.

As três tentativas por Moreira:

1) Em dezembro, Brunoro e Audinei viajaram ao Paraguai para negociar com o Libertad e o grupo de investidores – o Palmeiras pagaria 50%, e o investidor, os outros 50%. Eles conseguiram diminuir a pedida de US$ 2 milhões para US$ 1,5 milhão, mas o clube recuou.

2) Diante da necessidade do clube na lateral direita, o investidor ofereceu-se para bancar a contratação de Moreira. Em contrapartida, queria ver o também lateral-direito Roniery no Palestra Itália (havia acabado de adquirir os direitos do jogador do Paraná). Verdão não topou.

3) Moreira continua sendo o preferido de Gilson Kleina, mas o clube não tem dinheiro para investir. Por isso, pediu a Audinei Azevedo que bancasse todo o valor da compra. O investidor negocia para diminuir a pedida e colocá-lo no clube para o segundo semestre deste ano.