icons.title signature.placeholder Eduardo Mendes e Pedro Barboza
19/07/2014
11:06

Para tentar um acerto com Christian Bolaños, meia da seleção da Costa Rica, a diretoria do Flamengo recorreu ao empresário Léo Rabello como intermediador da negociação com Simon Friis, agente dinamarquês. Isso porque a transferência é vista um tanto quanto complicada pelo Rubro-Negro, ainda mais após a valorização do jogador, que disputou umas das quartas de final da Copa do Mundo, no Brasil.

Rabello, por sua vez, mesmo que ainda com cautela, mostrou um certo otimismo na concretização do acerto do Flamengo com o costarriquenho.

– Ainda estamos conversando. Não é uma negociação fácil. Mas caso seja viabilizada, a transferência ocorrerá na semana que vem. Outro ponto é que o jogador gostou de jogar aqui no país durante a Copa do Mundo e isso pode facilitar ainda mais um desfecho positivo. Mas estamos tranquilos, pois o clube só poderá o inscrever depois do dia 1 de agosto, por causa da janela de transferência – afirmou Léo Rabello.

Além do Rubro-Negro, o meia costarriquenho, que não renovou o contrato – terminou no início deste mês – com o Copenhague, da Dinamarca, também despertou interesse de outras duas equipes no mercado internacional.

Empresário é marcado por fracasso com Thiago Neves

No fim de 2011, ainda durante gestão de Patricia Amorim, o empresário Léo Rabello foi designado para conversar com o Al Hilal (SAU), após o término do contrato de empréstimo por Thiago Neves. As negociações se arrastaram até 2012 e o jogador teve de retornar ao clube árabe. Após isso, o meia se transferiu para o Fluminense.

Além disso, o agente também esteve envolvido na polêmica briga entre Flamengo, Fluminense e o empresário Marcos Marinho pelo lateral-direito Wellington Silva, no fim de 2012. Com uma proposta maior, o jogador entrou na Justiça contra o Rubro-Negro para acertar com o Tricolor.