icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
07/03/2014
17:53

Em vídeo divulgado pela "Santos TV" no final da tarde desta sexta-feira, o volante Arouca desabafou sobre as injúrias racistas que sofreu na partida de quinta, quando o Santos goleou o Mogi Mirim por 5 a 2 no Estádio Romildão. O camisa 5 do Peixe marcou um dos gols da vitória da equipe, mas foi ofendido pela torcida rival no momento em que concedia entrevista a emissoras de rádio perto da entrada dos vestiários. O jogador já havia divulgado nota oficial, mas desabafou outra vez por meio do vídeo do Peixe.

- Esta é minha quinta temporada vestindo a (camisa) cinco do Peixe. Já vivi três títulos paulistas, uma Copa do Brasil, uma Libertadores e uma Recopa. E antes de ser jogador sou ser-humano, pai, marido, cidadão, carioca de origem e santista de coração. Tenho a pele negra, cabelo afro e visto o mesmo manto branco que vestiu o Rei. Carrego orgulho no peito e sou grato a Deus por tudo isso. Tudo isso - disse Arouca, em tom de desabafo.

Por conta das injúrias racistas, o Mogi Mirim teve seu estádio interditado por tempo indeterminado, mas o clube planeja usar imagens das câmeras de segurança para se livrar de punições esportivas e ajudar a condenar os culpados. O Santos publicou nota de "tristeza e revolta" e já encaminhou à FPF pedido de abertura de inquérito para investigar o caso.

- Para mim é muito triste ter que falar sobre racismo, porque eu poderia estar falando sobre vitória, sobre meu golaço, mas saí triste. É lamentável que hoje em dia isso ocorra. Esperava que o caso do Tinga mudasse a mentalidade das pessoas, mas alguns ainda cismam. A gente pede que as autoridades punam com rigor, porque não dá para aceitar esse tipo de preconceito. Tenho uma filha de três anos e não quero nem em pesadelo que ela passe por isso. Enquanto não houver punições severas isso será comum. Eu tenho força para superar, mas não sei se teria se minha filha passasse por isso - encerrou, em outro vídeo publicado pelo clube.