icons.title signature.placeholder Thiago Correia
25/07/2014
12:09

Ao contrário do que muitos pensam, Stoichkov, unanimidade quando se fala em maior jogador da história do futebol búlgaro, não é exatamente um ídolo nacional. Pelo contrário. Venerado pelo CSKA Sofia, não é nada amado pelos clubes rivais, principalmente pela torcida do Levski, maior rival do clube. E motivos para isso não faltam, já que o craque nunca teve papas na língua, e o seu sangue sempre foi bem quente.

Ele já foi para o CSKA para tentar se acalmar um pouco. Stoichkov já era "estourado" na infância, e o clube é do exército. Foi em vão. Após marcar quatro gols em um clássico, foi para o jogo seguinte exatamente com esse número na camisa. Isso sem falar em uma pancadaria generalizada dentro de campo contra o Levski. Acabou ficando praticamente um ano sem jogar.


Mas além de polêmicas, colecionou gols e títulos. Depois de seis temporadas, saiu do CSKA Sofia e foi para o Barcelona, aonde virou ídolo e fez parte do "Dream Team", o time dos sonhos, que tinha ainda Romário, Laudrup e outros.

Chegou e já ajudou o time a quebrar uma série de cinco títulos do Real Madrid, destacando-se logo. Mas não evitou confusões. Em seu primeiro Superclássico, deu um pisão no árbitro. Mais sem meses sem jogar bola.

Stoichkov é ídolo no Barcelona (Foto: Arquivo LANCE!)

Depois de um desentendimento com Johan Cruyff, então técnico do Barça, acabou saindo. Foi para o Parma, que estava fazendo investimentos milionários. Mas nunca mais voltou a ser o mesmo, apenas com brilhos esporádicos. Voltou para o time catalão em 1996, e daí até 1999 jogou ainda pelo CSKA Sofia novamente, Al-Nassr e Kashiwa Reysol. Encerrou a carreira nos Estados Unidos, aonde jogou por Chicago Fire e DC United.

Títulos de Stoichkov
CSKA Sofia: Campeonato Búlgaro (1987, 1989 e 1990), Copa da Bulgária (1985, 1987, 1988 e 1989) e Supercopa da Bulgária (1989)

Barcelona: Campeonato Espanhol (1990/91, 1991/92, 1992/93, 1993/94 e 1997/98), Supercopa da Espanha (1992, 1994 e 1996), Liga dos Campeões (1991/92), Supercopa da Europa (1992 e 1997), Copa do Rei (1996/97) e Copa dos Clubes Vencedores da Copa (1996/97)

Al-Nassr: Copa dos Clubes Vencedores de Copas da Ásia (1998)

Chicago Fire: MLS Open Cup (2000)