icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
03/07/2014
09:51

A defesa do ex-atleta paralímpico, Oscar Pistorius, tenta mostrar um outro lado do esportista em mais um dia de julgamento. Nessa apresentação, eles falam que, de acordo com o médico chamado para testemunhar, Wayne Derman, ele vive um paradoxo por ser um vencedor na carreira de esportista, mas com grandes limitações físicas por seu problema, fazendo com que ele tenha uma "dupla personalidade".

– Você tem um paradoxo de um indivíduo que é extremamente capaz e um indivíduo que está limitado de forma significativa – disse Derman, médico-chefe da equipe paraolímpica Sul Africano nos Jogos Olímpicos de Londres em 2012.

De acordo com ele, esse fator de "dupla personalidade" foi o ponto-chave para que Pistorius tivesse matado a namorada em pleno dia dos namorados. A ideia é mostrar que "o outro lado" dele é de um cara vulnerável por seu problema e por tudo que viveu na infância, na África do Sul, o que torno uma pessoa instável.

O médico e períto deve ser a última testemunha a ser chamada pela defesa do ex-atleta paralímpico. A promotoria tenta aumentar o tempo da pena dele, que está solto sob pagamento de fiança. Se for considerado culpado, ele pode pegar de 25 anos a perpétua.