icons.title signature.placeholder Felipe Mendes
14/11/2013
14:03

Dono de seis medalhas olímpicas, o croata Ratko Rudic, de 65 anos, foi o escolhido pela Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA) para levar a Seleção Brasileira masculina de polo aquático ao inédito pódio nos Jogos Olímpicos Rio-2016. Nesta quinta-feira, na sede do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio, o treinador foi apresentado. Ele, que assume o cargo em janeiro de 2014, quando fará sua primeira convocação para um trainning camp com a Holanda, deixou claro que aceitou o convite pelo desafio de fazer a modalidade brilhar no evento em casa.

- Depois dos Jogos de Londres, no ano passado, deixei de ser técnico da Croácia. Virei diretor de polo aquático no meu país e passei a atuar como consultor do ministro do Esporte. Fui procurado pelo Coaracy (Nunes Filho, presidente da CBDA) e ele me contou sobre o projeto. Aceitei para levar o Brasil a um bom resultado na Olimpíada no país. O Brasil tem um histórico de medalhas nos esportes coletivos e quero aproveitar isso para desenvolver o polo aquático. Para isso, todos os agentes precisam caminhar juntos - disse Rudic, em italiano, pois ainda tem dificuldade com o português.

O técnico croata foi contactado por Coaracy durante o Mundial de Esportes Aquáticos, em Barcelona (ESP), entre julho e agosto deste ano. No evento, o presidente da CBDA diz ter acompanhado quase todos os jogos de polo aquático. Quando perguntou ao treinador qual a chance de ele vir trabalhar no Brasil, o dirigente afirmou ter ficado assustado com a resposta.

- Ele respondeu que viria na hora. De cara, mostrou humildade e vontade de vir. Passamos a conversar, ele mandou a proposta e o COB nos ajudou na contratação - explicou Coaracy, citando o fato de Rudic ter seu contrato custeado pelo comitê olímpico via recursos da Lei Agnelo-Piva.

Com a chegada do croata, o presidente da CBDA espera uma grande transformação no polo aquático brasileiro. Não só no trabalho com a equipe adulta, mas também na qualificação dos atletas e profissionais ligados à modalidade. Além disso, o treinador vai ajudar no repatriamento de jogadores brasileiros que atualmente defendem outros países, além de nacionalizar estrangeiros que interessem para a formação da equipe olímpica. Para 2016, o Brasil tem vaga garantida no masculino e no feminino. No primeiro, o país não disputa os Jogos desde Los Angeles-1984. No segundo, a participação é inédita.

Ainda nesta quinta-feira, Rudic viaja para Jundiaí (SP) para acompanhar a rodada da Liga Nacional Masculina de Polo Aquático.

Considerado um dos melhores técnicos da modalidade no mundo, o croata foi vice-campeão olímpico como jogador em Moscou-1980. Como treinador, ganhou cinco medalhas, sendo quatro de ouro. A última conquista foi a láurea dourada com a Croácia em Londres-2012. As outras medalhas foram conquistadas pela Itália (ouro em Barcelona-1992 e bronze em Atlanta-1996) e pela antiga Iugoslávia (ouro em Los Angeles-1984 e Seul-1988). Ele ainda é dono de três títulos mundiais e três europeus.