icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
03/11/2014
19:13

Expulso aos 30 minutos do segundo tempo no empate por 1 a 1 com o Cruzeiro, no Mineirão, o técnico Dorival Júnior foi julgado nesta segunda-feira pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). Ele corria o risco de "desfalcar" o Palmeiras por até seis partidas, mas recebeu apenas uma advertência.

Na súmula, Péricles Bassols alegou que expulsou Dorival "por protestar com gestos e palavras reiteradamente, de forma acintosa" depois de ter sido advertido pelo trio de arbitragem. O técnico foi indiciado no artigo 258 do Código de Justiça Desportiva, por "assumir conduta contrária à disciplina ou à ética desportiva".

O comandante do Palmeiras reclamou muito no confronto do Mineirão, pedindo o segundo amarelo e, consequente, a expulsão de Egídio. O cruzeirense acabou salvando uma bola em cima da linha na sequência, e Dorival usou o fato como argumento ao contestar o trabalho do trio de arbitragem no Mineirão.