icons.title signature.placeholder Diogo Sautchuk
21/04/2014
18:24

Os atletas da Portuguesa estão proibidos de se pronunciar a respeito do imbróglio protagonizado pelo clube na Justiça. As ordens para que os jogadores não respondessem às perguntas relacionadas a assuntos extracampo partiram do técnico Argel Fucks. O treinador entende que a confusão jurídica envolvendo a Lusa estava desgastando o elenco.

O treino da Portuguesa desta segunda-feira, realizado no CT do Parque Ecológico, em São Paulo, aconteceu normalmente. Os jogadores estavam em clima descontraído e o treinador lusitano conversava e incentivava seus atletas como em qualquer outro treinamento.

Presente no CT da Lusa, a assessoria de imprensa do clube anunciou que haverá um pronunciamento oficial por parte da diretoria nesta terça-feira para explicar o posicionamento rubro-verde em meio à briga jurídica travada contra a CBF.

ENTENDA O IMBRÓGLIO

Na última sexta-feira, os jogadores da Portuguesa abandonaram a partida que estava sendo realizada na Arena Joinville, contra o Joinville, pela primeira rodada da Série B do Campeonato Brasileiro, aos 17 minutos do primeiro tempo. A justificativa do clube é o respaldo que existia na ocasião relacionado à liminar obtida pelo torcedor Renato de Britto Azevedo e emitida pela 3ª Vara Cível da Penha de São Paulo. Tal ação, no entanto, foi derrubada na Justiça, pela CBF, no fim da noite de sábado.

Sem liminar vigente na Justiça que lhe dê o direito de jogar a Série A do Brasileirão, a Portuguesa deve apresentar-se normalmente para o duelo do próximo sábado, no Canindé, contra o Santa Cruz, pela segunda rodada da Série B.

Ainda há duas ações favoráveis à Lusa correndo na Justiça, de autoria do Ministério Público e da própria Portuguesa. Ambas, no entanto, correm sem uma decisão liminar.