icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
24/12/2013
09:00

Quando apenas tinha quatro anos trabalhando no clube do coração, o então preparador físico Benecy Queiroz seria o treinador de uma equipe mista do Cruzeiro, em 1973, mas que abrigaria uma lenda mundial do futebol. O jovem profissional de educação física treinaria Mané Garrincha, já aposentado, em um jogo de exibição contra o Democrata de Governador Valadares, no interior. 40 anos depois, Benecy ganhou uma homenagem pelo tempo de clube.

Quem entregou a placa comemorativa da data foi o presidente Gilvan de Pinho Tavares, juntamente com o presidente do Conselho Deliberativo do clube, Wilmer Santa Luzia Mendes.O mandatário lembrou o episódio no qual Benecy virou treinador de um time misto do Cruzeiro para o duelo do Democrata. Vale lembrar que a Pantera negou aceitar Garrincha, que vestiu a camisa estrelada pela única vez na vida.

- Existe um episódio na vida dele, enquanto treinador, muito engraçado. Em uma partida em Governador Valadares, o Benecy convidou o atleta Garrincha para jogar pela equipe do Cruzeiro, e o jogador chegou até a marcar um gol no time do Democrata de Valadares - disse Gilvan, ao site oficial do Cruzeiro, comentendo um erro histórico, já que os autores da vitória de 3 a 0 da Raposa foram Aender e Evaldo (duas vezes).

Das mãos do presidente, o atual supervisor de futebol da Raposa agradeceu a homenagem e lembrou que são décadas de muita confiança dos homens fortes celestes.

- Não tenho nem palavras nesse momento, quero agradecer a todos pela oportunidade. Sinto-me realizado porque são 40 anos de muito trabalho mas também de confiança de todos que já dirigiram essa agremiação até o momento, o mérito não é só meu, é da equipe - disse, em entrevista ao site oficial do Cruzeiro.

Garrincha com a camisa do Cruzeiro em amistoso de 1973 (Foto: Arquivo)