icons.title signature.placeholder Daniel Bortoletto, Igor Siqueira, Rodrigo Cerqueira e Thiago Correia
25/06/2014
19:58

O técnico Reinaldo Rueda dá adeus à Copa do Mundo, após o empate do Equador em 0 a 0 contra a França, nesta quarta-feira no Maracanã, e pode também estar perto de deixar a seleção. Na entrevista coletiva logo após o jogo, o treinador lembrou que o seu contrato iria até o fim da participação da equipe no Mundial, mas deixou o futuro em aberto. Exaltou ainda a renovação feita.

- Nosso contrato termina hoje (quarta-feira), mas isso fica para a avaliação da federação. Acho que fizemos um excelente trabalho. Há satisfação por vários jogadores que chegaram. Enner Valencia, Dominguez, por exemplo, não existia na seleção. Fizemos uma renovação, que é um grande patrimônio, dependendo de como esses jovens forem cuidados - disse Rueda.

O colombiano ainda fez uma retrospectiva da Copa. Para ele, a derrota na estreia contra a Suíça, de virada, foi fundamental para a eliminação.

- Se fizermos uma análise, contra a Suíça faltou o melhor nível para conseguirmos somar mais pontos. Enfrentamos a Suíça, que é experiente, foi bem nas Eliminatórias... Foi o ponto de quebra, eram eles ou nós. Não resolvemos. Cada torneio deixa um grande aprendizado - refletiu.

Por fim, Ruedo falou ainda sobre a arbitragem do marfinense Noumandiez Doué, que expulsou Antonio Valencia, mas deixou em campo o zagueiro Sakho, que acertou uma cotovelada em Erazo.

- Foi uma pena o que aconteceu. Acho que isso corresponde à comissão disciplinar que vê o comportamento dos árbitros. Acredito que não foi o ideal em algumas situações. Não vale a pena falar disso agora - concluiu.