icons.title signature.placeholder Michel Castellar
22/06/2014
20:32

O técnico de Camarões, Finke Volker, reagiu mal ao ser indagado sobre a possibilidade de a sua equipe participar de um suposto esquema de manipulação de resultados na partida contra o Brasil, pela última rodada do grupo A da Copa, no domingo, às 17 horas, no Estádio Nacional de Brasília-Mané Garrincha. A suspeita foi aventada pelo diretor de Segurança da Fifa, Ralf Mutschke.

De acordo com Mutschke, os camaroneses estariam vulneráveis a esse tipo de armação por estarem eliminados e por causa dos problemas enfrentados para o pagamento de bônus pela participação na Copa. Antes de o Mundial começar, os jogadores ameaçaram não viajar para o Brasil enquanto um valor de premiação que atendesse às expectativas de todos não fosse acordado.

Volker disse que não tinha sentido uma possibilidade desta ser considerada. Ressaltou que os jogadores já fizeram um pacto para se despedirem com honra do Mundial e, por isso, vão perseguir a vitória.

- Isso (a manipulação) é um rumor e nunca ouvi falar. Posso dizer que conheço um pouco a minha equipe e isso seria impossível. Nós não precisamos desse tipo de suspeita. Com certeza, não a minha equipe - frisou o técnico de Camarões.


Em Brasília, a Seleção precisa de uma vitória para se garantir na próxima fase da competição. O Brasil lidera o grupo A com quatro pontos e dois gols de saldo.

O México é o vice-líder, tem o mesmo número de pontos do Brasil, mas um gol a menos de saldo. Em terceiro lugar está a Croácia, três pontos, seguida por Camarões que ainda não pontuou.