icons.title signature.placeholder Luis Fernando Coutinho
icons.title signature.placeholder Luis Fernando Coutinho
20/08/2015
14:10

Com um cartel perfeito de 20 lutas e nenhuma derrota na carreira, Thomas Almeida estreou no UFC em novembro passado. Depois de conquistar o título do Legacy FC, o paulista chegou com moral no maior evento de MMA do mundo e comprovou isso dentro do octógono. Depois de três lutas, três triunfos e três prêmios dados pelo Ultimate por suas performances. Depois de nocautear Brad Pickett com uma joelhada voadora no UFC 189, em julho, o atleta da Chute Boxe se consolidou como promessa brasileira na franquia e chamou a atenção de rivais, inclusive brasileiros. Mas para seu treinador Diego Lima não se trata de uma rivalidade tupiniquim. A explicação dele é uma só: "a cabeça de Thominhas está valendo ouro".

Em entrevista ao LANCE!, o técnico avaliou o desafio feito por Johnny Eduardo a Thomas recentemente em entrevista ao Combate.com. Na ocasião, o lutador da Nova União pediu que o peso galo pensasse em um duelo brasileiro com ele. Apesar de apostar no pupilo, Diego Lima avalia o desafio, prega respeito a Johnny, mas diz não se empolgar com a hipótese.

- Acho que rolou o desafio porque a cabeça do Thominhas está valendo muito. O moleque está invicto, fez três lutas, levou três bônus no UFC. Acho que o Jhonny desafiou, mas não foi algo como "Ah, quero lutar com o Thominhas". É porque ele quer lutar com esse moleque que está com 20-0 no cartel e está todo mundo falando dele. Querendo ou não quem arrancar a cabeça do Thominhas vai ficar bem conhecido por pelo menos uma semana, ou um mês (risos). Seria uma luta boa? Seria. O Thominhas é um striker, o Johnny também é um. Eu com todo respeito apostaria todas as minhas fichas no Thominhas, é uma luta que casa muito bem com ele. É uma lutaça para o Thominhas, mas eu sinceramente não gostaria e nem vejo graça nenhuma. Então entendo que esse desafio foi justamente porque a cabeça do Thominhas está valendo ouro hoje. É normal as pessoas desafiarem ele. Mas acredito que essa luta não vai acontecer, pois não tem propósito. São dois brasileiros. não há necessidade de ter Brasil x Brasil. Temos de nos unir e partir para cima dos gringos, porrada neles - avaliou, em conversa por telefone.

Johnny Eduardo é atleta da Nova União (FOTO: Divulgação/UFC)

Sobre o retorno de Thomas ao ocótogono, o treinador diz ainda não ter uma previsão, mas garante que o lutador se apresenta mais uma vez em 2015. O brasileiro já está de volta aos treinos leves após o confronto em julho e deve ter seu destino definido em breve.

- O Thominhas está muito bem. Não temos ainda nenhum contrato assinado, não fechamos ainda, mas ele vai lutar ainda esse ano. O Thominhas é um moleque muito duro. Ele já está treinando. Nós não fazemos camp de treinamento. Estamos sempre em atividade - concluiu.

Com um cartel perfeito de 20 lutas e nenhuma derrota na carreira, Thomas Almeida estreou no UFC em novembro passado. Depois de conquistar o título do Legacy FC, o paulista chegou com moral no maior evento de MMA do mundo e comprovou isso dentro do octógono. Depois de três lutas, três triunfos e três prêmios dados pelo Ultimate por suas performances. Depois de nocautear Brad Pickett com uma joelhada voadora no UFC 189, em julho, o atleta da Chute Boxe se consolidou como promessa brasileira na franquia e chamou a atenção de rivais, inclusive brasileiros. Mas para seu treinador Diego Lima não se trata de uma rivalidade tupiniquim. A explicação dele é uma só: "a cabeça de Thominhas está valendo ouro".

Em entrevista ao LANCE!, o técnico avaliou o desafio feito por Johnny Eduardo a Thomas recentemente em entrevista ao Combate.com. Na ocasião, o lutador da Nova União pediu que o peso galo pensasse em um duelo brasileiro com ele. Apesar de apostar no pupilo, Diego Lima avalia o desafio, prega respeito a Johnny, mas diz não se empolgar com a hipótese.

- Acho que rolou o desafio porque a cabeça do Thominhas está valendo muito. O moleque está invicto, fez três lutas, levou três bônus no UFC. Acho que o Jhonny desafiou, mas não foi algo como "Ah, quero lutar com o Thominhas". É porque ele quer lutar com esse moleque que está com 20-0 no cartel e está todo mundo falando dele. Querendo ou não quem arrancar a cabeça do Thominhas vai ficar bem conhecido por pelo menos uma semana, ou um mês (risos). Seria uma luta boa? Seria. O Thominhas é um striker, o Johnny também é um. Eu com todo respeito apostaria todas as minhas fichas no Thominhas, é uma luta que casa muito bem com ele. É uma lutaça para o Thominhas, mas eu sinceramente não gostaria e nem vejo graça nenhuma. Então entendo que esse desafio foi justamente porque a cabeça do Thominhas está valendo ouro hoje. É normal as pessoas desafiarem ele. Mas acredito que essa luta não vai acontecer, pois não tem propósito. São dois brasileiros. não há necessidade de ter Brasil x Brasil. Temos de nos unir e partir para cima dos gringos, porrada neles - avaliou, em conversa por telefone.

Johnny Eduardo é atleta da Nova União (FOTO: Divulgação/UFC)

Sobre o retorno de Thomas ao ocótogono, o treinador diz ainda não ter uma previsão, mas garante que o lutador se apresenta mais uma vez em 2015. O brasileiro já está de volta aos treinos leves após o confronto em julho e deve ter seu destino definido em breve.

- O Thominhas está muito bem. Não temos ainda nenhum contrato assinado, não fechamos ainda, mas ele vai lutar ainda esse ano. O Thominhas é um moleque muito duro. Ele já está treinando. Nós não fazemos camp de treinamento. Estamos sempre em atividade - concluiu.