icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
31/07/2013
18:31

O tribunal de Contas da União (TCU) divulgou nesta quarta-feira que encontrou atrasos nas obras e serviços do Complexo Esportivo de Deodoro (RJ), que vai sediar as competições de hipismo, tiro, esgrima, pentatlo moderno, canoagem, ciclismo e hóquei sobre grama na Olimpíada de 2016. O TCU classificou como injustificáveis os atrasos.

O TCU fiscalizou o edital de concorrência internacional realizado pela Secretaria da Casa Civil do Rio de Janeiro para a elaboração do plano urbanístico e dos projetos do complexo esportivo. Em alguns casos, as obras serão concluídas após a realização de eventos-teste do Comitê Olímpico Internacional (COI).  

O ministro Raimundo Carreiro, relator do processo, lembrou que isso pode levar a práticas emergenciais e, consequentemente, a um aumento dos gastos públicos para concluir as obras no prazo.

O TCU ainda determinou que a Secretaria da Casa Civil do Rio encaminhe o planejamento e o cronograma físico de implantação do Complexo Esportivo de Deodoro, assim que a licitação seja concluída, demonstrando compatibilidade com a data de início dos eventos-teste do COI.

O TCU ainda informou que encontrou inadequações nos critérios de habilitação e julgamento.

Contudo, o COI já tinha dado um aval para os atrasos e aprovado em fevereiro o adiamento das obras do Complexo de Deodoro. Conforme o LANCE!Net noticiou, ficou acordado para março de 2014 o início das obras.

O tribunal de Contas da União (TCU) divulgou nesta quarta-feira que encontrou atrasos nas obras e serviços do Complexo Esportivo de Deodoro (RJ), que vai sediar as competições de hipismo, tiro, esgrima, pentatlo moderno, canoagem, ciclismo e hóquei sobre grama na Olimpíada de 2016. O TCU classificou como injustificáveis os atrasos.

O TCU fiscalizou o edital de concorrência internacional realizado pela Secretaria da Casa Civil do Rio de Janeiro para a elaboração do plano urbanístico e dos projetos do complexo esportivo. Em alguns casos, as obras serão concluídas após a realização de eventos-teste do Comitê Olímpico Internacional (COI).  

O ministro Raimundo Carreiro, relator do processo, lembrou que isso pode levar a práticas emergenciais e, consequentemente, a um aumento dos gastos públicos para concluir as obras no prazo.

O TCU ainda determinou que a Secretaria da Casa Civil do Rio encaminhe o planejamento e o cronograma físico de implantação do Complexo Esportivo de Deodoro, assim que a licitação seja concluída, demonstrando compatibilidade com a data de início dos eventos-teste do COI.

O TCU ainda informou que encontrou inadequações nos critérios de habilitação e julgamento.

Contudo, o COI já tinha dado um aval para os atrasos e aprovado em fevereiro o adiamento das obras do Complexo de Deodoro. Conforme o LANCE!Net noticiou, ficou acordado para março de 2014 o início das obras.