icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
01/04/2014
17:51

Grande parte do caminho atleticano na conquista da América em 2013 passou por fortes emoções. Desde a defesa de Victor contra o Tijuana, o Galo esteve em outras duas ocasiões (semifinal contra o Newell's e final diante do Olimpia) bem perto de dar fim ao sonho do título. A vontade, no entanto, prevaleceu e o time de Cuca sagrou-se campeão da América do Sul. Na atual temporada, porém, Paulo Autuori vem aprimorando um Atlético-MG com maior cacoete defensivo, além de trabalhar melhor a bola para evitar ao menos não passar pelos mesmos sufocos que no ano anterior. A estratégia vem sendo aprovada entre os jogadores.

- Acho que pelo que estamos fazendo, o trabalho do Paulo (Autuori) está aparecendo, principalmente nos últimos jogos, na semi contra o América, mostramos uma qualidade, um nível altíssimo que nos deixa mais à vontade. A gente chega em um momento que precisamos jogar bem, ser o Atlético que foi no ano passado e esse é o melhor momento. Serão duas semanas decisivas que vamos mostrar nossa força e nosso potencial - falou o atacante Diego Tardelli.

MAIS:
> Com Guilherme e R10 juntos, Galo encerra preparação para pegar o Santa Fé
> Pierre e Leandro Donizete reeditam dupla de sucesso da Libertadores-2013

Apesar da má fase do Santa Fé na Libertadores, o camisa 9 do Galo não espera um jogo fácil em Bogotá, mas espera que, apesar dos colombianos tentarem impor pressão pela vitória, o time mineiro poderá se aproveitar nos contra-ataques e espaços deixados em campo.

- Vai ser o jogo mais difícil porque precisam do resultado. Jogar lá é difícil, tem a pressão da torcida. Mas para nós é positivo, para explorar o contra-ataque. O Paulo chamou atenção para não levar esse gol fora de casa e encarnar o espírito da Libertadores - completou Tardelli.