icons.title signature.placeholder Jonas Moura
16/07/2014
07:03

Prestes a retornar às areias após um ano e meio, Larissa contará com a experiência e o ritmo do jogo da parceira Talita. Eleita a melhor jogadora do Circuito Mundial em 2013, a sul-matogrossense disputou cinco etapas do torneio este ano, ao lado de Taiana, e está mais aquecida para as disputas em Haia (HOL), que começam nesta quarta-feira para as brasileiras. Por isso, a atual campeã espera dar sua contribuição.

– Fiquei feliz pela escolha dela. É só uma questão de tempo para ela voltar a ser a grande jogadora que todos conhecem. Mas é uma readaptação. Quero passar uma segurança a ela nesse momento – disse Talita, de 32 anos, ao LANCE!Net.

As duas tiveram menos de um mês para treinar juntas. A última etapa que Talita disputou, ainda com a ex-parceira, foi Berlim (ALE), em junho. Antes, atuou em Fuzhou (CHN), Xangai (CHN), Puerto Vallarta (MEX), Moscou (RUS). Nesta última, ela faturou a medalha de prata.

– A pressão vai existir, não tem como pensar numa Olimpíada, num projeto grande assim, e não colocoar na conta essa cobrança toda. Senão era melhor nem ter tanta ambição. Quando você quer algo grande, esperam o resultado. E a vontade dos adversários de ganhar do seu time é grande.

A briga que a nova dupla irá travar com Ágatha/Bárbara Seixas, bicampeãs brasileiras, e Juliana/Maria Elisa, cada vez mais entrosadas, será desafiadora. Larissa sabe que alguma das grandes parcerias terá de ficar fora dos Jogos Olímpicos de 2016, mas mostra-se tranquila.

– Ainda está longe para pensar na Olimpíada. Quero pensar em voltar, jogar bem, ficar 100%. Como sempre o Brasil tem boas duplas, nas Olimpíadas passadas também teve. A disputa é sadia para que as pessoas queiram melhorar. Não quero pensar nisso agora – afirmou.