icons.title signature.placeholder Felipe Bolguese
23/06/2014
18:29

É difícil ver Oscar Tabárez, técnico do Uruguai, dando risada Até mesmo quando sorri, "El Maestro", como é apelidado em seu país, tem uma cara fechada, que parece de poucos amigos. Mas o uruguaio de 67 anos tem lá seu senso de humor. E foi mostrado justamente nesta segunda-feira, véspera do duelo decisivo contra a Itália, às 13h desta terça, na Arena das Dunas, em Natal (RN), que valerá a classificação às oitavas e a eliminação para uma das duas.

Tabárez sempre revela o time do Uruguai nas vésperas dos jogos. No entanto, com o mistério do italiano Cesare Prandelli, horas mais cedo, ele também não quis revelar a escalação. E divagou.

- Vamos falar amanhã (terça), por uma questão de reciprocidade (risos). Talvez, possa chegar o dia em que os técnicos se falem na véspera e enviem a escalação para o outro. Um dia ainda vamos nos ajudar mutuamente (risos) - disse o urugiaio.

Desfalque contra a Inglaterra por conta de um problema no joelho esquerdo, o zagueiro e capitão Lugano é dúvida. Giménez foi seus substituto e pode ter a missão de tentar parar Balotelli. Já o lateral-direito Maxi Pereira, que cumpriu suspensão por ter sido expulso na estreia, deve retornar.

Um outro momento de destaque foi quando o treinador foi questionado se o Uruguai temia Balotelli assim como a Itália temia Suárez. Tabárez tentou arriscar o italiano e também mostrou bom humor, dizendo que enfrentar a Azzurra era um "presente de Deus".

- Faz tempo que não falo italiano, mas vamos tentar... Não existe medo no futebol. Na vida, sim. Se tem alguma coisa que acontece, alguém que você ama, aí você tem medo. No futebol, não. Balotelli é um grande jogador, jovem, especialista na função, jogando nos últimos metros do campo. Mas acho que esse jogo não deve seguir no campo do medo, e sim da motivação, admiração. Jogar contra a Itália é um presente de Deus. Ganhar a partida, contra um dos grandes do mundo, essa é a motivação - afirmou el Maestro.

Mais sério, o treinador uruguaio lembrou que sua seleção deu a resposta esperada no duelo contra a Inglaterra, em que venceu por 2 a 1 na Arena Corinthians e manteve vivo o sonho de classificação. Com o mesmo número de pontos, mas menos saldo de gols do que a Itália, a Celeste precisa vencer nesta terça-feira para chegar às oitavas de final. A seleção já classificada do Grupo D é a Costa Rica, que venceu justamente Uruguai e Itália nas duas rodadas inciais.

- Nós estamos planejando a equipe para o resultado que precisamos. Pedi aos jogadores que foquem no jogo e não no que precisamos. No jogo anterior, precisávamos ganhar e conseguimos. Se ganharmos agora, nos classificamos. É mais um desafio para essa seleção - disse Tabárez.