icons.title signature.placeholder RADAR/LANCEPRESS!
17/11/2014
15:39

Atual campeão da Superliga e maior vencedor da história, o Rexona-AdeS fará sua primeira partida fora de casa na temporada 14/15 nesta terça-feira, às 20h15 (de Brasília). O adversário será o Maranhão/Cemar (MA), que certamente contará com a força da sua torcida no ginásio Castelinho, em São Luiz. Sendo assim, para sair com a terceira vitória na competição, o time carioca terá que frear não só o rival nordestino, mas também o ímpeto dos fãs.
 
Na última temporada, o Rexona-AdeS conseguiu triunfar diante do Maranhão/Cemar. E viu o quanto é difícil jogar diante de mais de sete mil pessoas. A ponteira Natália, que retornou à equipe após uma edição da Superliga atuando pelo Campinas, também enfrentou a equipe maranhense e não espera outra atmosfera no Castelinho. Só que revelou o carinho dos torcedores também com as visitantes.
 
- Quando joguei aqui na temporada passada, me lembro do ginásio cheio, com um público muito bom. As pessoas aqui gostam muito de vôlei e sempre nos recebem com muito carinho, mesmo sendo de um time adversário. Isso é muito gostoso e saudável, disse Natália,

Ela também alerta para os perigos que o Maranhão/Cemar pode apresentar:
 
- O Maranhão se reforçou para esta temporada e fez bons jogos até agora. Sem dúvida, não será diferente contra a gente. Teremos um jogo complicado pela frente, mas vamos fazer a nossa parte e sair daqui com mais uma vitória. Não será fácil. Vamos ter que lutar muito para isso.
E MAIS:
>> Imbatíveis! Larissa e Talita faturam oitavo título seguido no vôlei de praia
Sobre os dois primeiros jogos da Superliga, vencidos em casa pelo Rexona-AdeS, a ponteira fez uma avaliação positiva. Mesmo sabendo que a equipe ainda renderá muito mais ao longo da competição.
 
- Conseguimos nossos objetivos até o momento, que eram as duas vitórias. Mas todas sabemos que ainda temos muito a melhorar. O time está começando a criar uma identidade, ter uma cara. Estamos trabalhando muito e com o ritmo de jogos vamos obter um entrosamento melhor. Já estamos no caminho certo, encerrou Natália.

No Maranhão, que vem de duas derrotas, todas as jogadorers dizem que vencer o jogo será tarefa dura, mas a capitã Nikolle, acredita que seu time pode fazer bonito ao lado de sua torcida.
- Pegamos logo de cara três equipes muito fortes, que já foram Molico e Sesi, e agora vem o Rexona, mas estamos buscando o nosso crescimento a cada dia. Esse ainda vai ser o terceiro jogo que faremos nessa Superliga e acredito muito no potencial da nossa equipe, afirmou Nikolle.