icons.title signature.placeholder Felipe Bolguese
23/06/2014
15:01

Luis Suárez correu contra o tempo, as dores e o medo para estar na Copa do Mundo. Após passar por uma artroscopia no joelho esquerdo, a um mês do torneio, o atacante do Uruguai ficou fora da estreia. Resultado: derrota da Celeste por 3 a 1 para a Costa Rica. No jogo seguinte, o camisa 9 foi a campo e acabou com o jogo. Com bela atuação, fez os dois gols na vitória por 2 a 1 sobre a Inglaterra, que ainda dá esperança de classificação aos uruguaios.

Como não poderia ser diferente, ele é a maior esperança para o duelo contra a Itália nesta terça-feira, às 13h, na Arena das Dunas, em Natal (RN). A seleção de Oscar Tabárez precisa vencer os italianos para alcançar as oitavas - e consequentemente eliminar o rival. E Suárez garante estar 100% para ajudar.

- O joelho está bem, em condições perfeitas. Claro que após a cirurgia era difícil prever a reação mas, por sorte, a reação foi espetacular. Senão eu mesmo teria dito ao professor (Oscar Tabárez) que não poderia mais jogar - disse Luisito.

- Claro que eu não joguei (contra a Inglaterra) 100% fisicamente, mas estava 100% moral e animicamente. Isso fez a diferença. Eu estava aquém das condições, terminei o jogo muito cansado, mas estou chegando à melhor forma. Estarei bem para a partida contra a Itália - completou.

O grande heroi da recuperação de Suárez para a Copa é o fisioterapeuta da seleção uruguaia, Walter Ferreira. Aos 63 anos, ele luta contra o câncer e é visto como um pai por boa parte do elenco. Com o atacante, a relação se estreitou nos últimos tempos. Após os gols contra a Inglaterra, o camisa 9 abraçou-lhe e beijou-lhe, como forma de agradecimento e vitória. Na coletiva, ele reforçou o sentimento.

- Era o mínimo que poderia fazer. Por tudo que passei, tudo que sofri... O apoio dele foi fundamental para mim, meus companheiros e a comissão técnica. Foi uma forma de reconhecimento ao seu grande trabalho, à força que ele sempre me deu. Isso é importante - disse Suárez.