icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
06/11/2013
16:22

O procurador geral do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), Paulo Schimitt, reuniu-se nesta quarta-feira com Marco Polo Del Nero, presidente da Federação Paulista de Futebol (FPF) e vice da CBF, para apresentar um projeto que responsabiliza o clube por atos de violência de torcedores nos estádios. De acordo com ele, a intenção é aproximar as regras de segurança do futebol brasileiro às aplicadas pela Fifa.

- A proposta é adotar dispositivos do código da Fifa para que os clubes sejam responsabilizados pelos atos praticados por seus torcedores, como prevê a norma internacional, e que possam cumprir, no caso de elevada gravidade, as penas de perda de mando de campo, eventualmente com portões fechados, e nas reincidências de muita violência e de gravidade até mesmo a perda de pontos - afirmou Paulo Schimitt, ao site da FPF.

Nesta temporada, pouco mais de 20 pessoas já morreram por violência ligada ao futebol, sendo que Corinthians, Palmeiras e São Paulo perderam mandos de campo em 2013 por conta de problemas nas arquibancadas. A ideia de Schimitt agora é levar a proposta a José Maria Marin, presidente da CBF, e a outras federações, para que a lei entre em vigor a partir de 2014.

- Vamos buscar que os principais dispositivos constem no regulamento geral das competições das federações e também da CBF, e que isso possa ser encaminhado ao Ministério do Esporte para que os diversos dispositivos desse código disciplinar também sejam incorporados a um anexo do nosso código brasileiro de justiça desportiva - acrescentou.

- Estou completando dez anos de tribunal e esse ano de 2013 realmente chamou muito a atenção. Temos que dar esse tipo de resposta. Estamos às vésperas de uma Copa do Mundo e o que nos falta é paz nas arquibancadas - completou Paulo Schimitt.