icons.title signature.placeholder Matheus Babo
11/12/2013
18:36

A polêmica sobre as escalações irregulares está próxima de ser resolvida. O Superior Tribunal de Justiça Desportiva marcou os julgamentos dos casos envolvendo o meia Héverton, da Portuguesa, e o lateral-esquerdo André Santos, do Flamengo, para a próxima segunda-feira, às 17 horas.

Conforme o LANCE!Net antecipou, a denúncia foi apresentada nesta quarta-feira ao tribunal pelo procurador Milton Jordão. e os documentos já haviam sido enviados pela CBF. Com a documentação necessária em mãos, o STJD vai analisar e encaminhar a ação que pode tirar quatro pontos da Lusa, rebaixando-a e salvando o Fluminense no Brasileirão.

O tribunal deve intimar todas as partes do processo ainda nesta quarta-feira. Pela urgência da sessão, os envolvidos precisam estar cientes da data para que a reunião seja confirmada.

ENTENDA O CASO

O meia Héverton, da Portuguesa, cumpriu suspensão automática diante da Ponte Preta e foi julgado na última sexta-feira pela 4ª Comissão Disciplinar do STJD. O jogador foi punido por duas partidas e deveria cumprir mais uma diante do Grêmio. No entanto, foi relacionado e entrou aos 32 minutos do segundo tempo do empate em 0 a 0 com o Tricolor gaúcho.

De acordo com o vice-presidente da Lusa, Roberto dos Santos, o advogado que representou a equipe no julgamento, Oswaldo Sestário, informou que a punição foi de apenas uma partida, que já havia sido cumprida. A notificação de que foram duas partidas de gancho chegou com atraso, apenas nesta terça.

Assim como a Portuguesa, o Flamengo também pode ser punido com a perda de quatro pontos no Campeonato Brasileiro por ter escalado de forma irregular o lateral-esquerdo André Santos na partida contra o Cruzeiro, pela última rodada da competição. O jogador foi expulso na Copa do Brasil, julgado na última sexta-feira, e teria de ter cumprido a suspensão no jogo do último sábado. O que não aconteceu.

O Código Brasileiro de Justiça Desportiva diz que a presença de um representante do clube no julgamento elimina a necessidade de notificação por escrito. Se o erro foi mesmo cometido pela Portuguesa, a punição deve acontecer. Se ficar comprovado que o erro foi do STJD, o clube seguirá na Primeira Divisão.