icons.title signature.placeholder Bruno Andrade
30/03/2014
18:01

Chuva, falhas defensivas, estrela de Oswaldo de Oliveira, assistência decisiva de Rildo, gol salvador de Stéfano Yuri, vitória sofrida... Ufa! Em um duelo recheado de fortes emoções, o Santos bateu o Penapolense por 3 a 2, na Vila Belmiro, pela semifinal do Paulistão. Cereja do bolo? O Peixe assegurou a sexta participação consecutiva na final da competição estadual (2009, 2010, 2011, 2012, 2013 e 2014). Na decisão, em duas partidas, a equipe terá pela frente o Ituano, que surpreendeu e derrotou o Palmeiras por 1 a 0, no Pacaembu. 

Mas a garantia de presença do Peixe na decisão não foi fácil. Pelo contrário. O time de Penápolis deu trabalho e a própria defesa santista quase colocou tudo a perder. Mas coube a Oswaldo de Oliveira acertar em cheio nas substituções no fim do jogo. Rildo e Stéfano Yuri mudaram o panorama da partida. Mudaram a feição do torcedor. Mudaram o destino do time da Baixada Santista. 

FALHAS DEFENSIVAS

Campo molhado e defesa adversária bem postada. O Santos não teve vida fácil nos primeiros minutos do duelo com o Penapolense na Vila Belmiro. Mas, com Geuvânio e Thiago Ribeiro puxando a marcação nas pontas, Arouca e Cícero surgiam como opções ofensivas.

E foi exatamente dos pés da dupla que o Santos abriu o placar aos 21 minutos. Após uma tabela sem sucesso com Leandro Damião, Arouca tocou curto para Cícero, que chutou forte de fora da área. A bola desviou na zaga, enganou o goleiro Samuel e morreu no fundo da rede.

Apesar do gol, o Santos não conseguiu controlar a partida. Errava ao atacar e, para piorar, dava espaço para o Penapolense avançar. Aos 26 minutos, David Braz puxou o atacante adversário dentro da área e o árbitro Marcelo Rogério assinalou pênalti. Guaru cobrou e empatou o jogo.

Com o placar igualado, o Penapolense, que não marcava um gol há cinco jogos, se atirou ainda mais ao ataque. O Santos também atacava, mas de forma tímida. No embalo do primeiro gol, o time de Penápolis encontrou a virada em outra infelicidade de David Braz - desta vez com "ajuda" de Aranha. A dupla santista bateu cabeça no contra-ataque adversário e deixou a bola livre para Douglas Tanque carregá-la até o gol.

ESTRELA DE OSWALDO DE OLIVEIRA

Atrás no placar, o Peixe começou o segundo tempo levando perigo para o goleiro Samuel. Nos primeiros cinco minutos, Cicinho, com um chute cruzado de fora da área, e Cícero, em cobrança de falta, por pouco não balançaram a rede.

A insistência ofensiva surtiu efeito aos 15 minutos. Mas com influência direta de Rildo, que havia entrado segundos antes no lugar do apagado Gabriel. O camisa 16 pedalou para cima de Rodrigo Biro, entrou na área e cruzou com precisão para Leandro Damião, de cabeça, deixar o duelo igual outra vez: 2 a 2.

Se não bastasse o equilíbrio técnico e tático durante o segundo tempo, a chuva proporcionou um duelo mais "pegado". Leandro Damião quase colocou fogo na Vila Belmiro em duas oportunidades. Aos 31, o atacante acertou uma forte cabeçada dentro de pequena área, mas o goleiro Samuel fez bela defesa. Dois minutos depois, o camisa 9, sozinho na área, errou a bola, "chutou o ar" e perdeu uma chance incrível de recolocar o Santos na frente do placar.

Aos 38 minutos, o grito de gol do Santos foi ecoado na Vila Belmiro. Só que a emoção santista durou pouquíssimos segundos. O gol de cabeça de David Braz (impedido) foi anulado pela arbitragem. Mas a estrela de Oswaldo de Oliveira voltou a brilhar minutos depois. Aos 42 minutos, Stéfano Yuri, que havia entrado no lugar de Leandro Damião dois minutos antes, mudou o cenário da partida. Acionado por Thiago Ribeiro, o jovem atacante, 19 anos, invadiu a aréa e, num chute certeiro, fez o gol da vitória santista.

Festa na Vila Belmiro! Festa de Stéfano Yuri! Festa da torcida santista que, pela sexta vez seguida, vê o seu time disputar a grande final do Paulistão. Pintou o 21º título?

Antes de disputar a primeira partida da decisão, domingo, o Peixe viajará para Cuiabá, onde enfrentará o Mixto-MT, na quarta, pela primeira fase da Copa do Brasil. A partida acontecerá na Arena Pantanal, que receberá jogos da Copa do Mundo no meio do ano, 

FICHA TÉCNICA
SANTOS 3 x 2 PENAPOLENSE

Local: Vila Belmiro, Santos (SP)
Data/Horário: 30/3/2014, às 16h
Árbitro: Marcelo Rogério
Assistentes: Rogério Zanardo e Miguel Caetano Ribeiro

Público/renda: R$ 353.892,00 / 12.409 pagantes
Cartões amarelos: Cicinho, Mena e David Braz (SAN); Samuel, Guaru e Rodrigo Biro (PEN);
Cartões vermelhos: -

GOLS: Cícero, 21'/1ºT (1-0), Guaru, 26'/1ºT (1-1), Douglas Tanque, 34'/1ºT (1-2), Leandro Damião, 15'/2ºT (2-2) e  Stéfano Yuri, 42'/2ºT (3-2),

SANTOS: Aranha, Cicinho, Neto, David Braz e Mena; Arouca, Cícero e Gabriel (Rildo - 15'/2ºT); Geuvânio (Alison - 43'/2ºT), Thiago Ribeiro e Leandro Damião (Stéfano Yuri - 40'/2ºT). Técnico: Oswaldo de Oliveira.

PENAPOLENSE: Samuel, Rodinei, Gualberto, Jaílton e Rodrigo Biro; Liel (Lucas - 46'/2ºT), Washington, Petros (Rafael Ratão - 44'/2ºT) e Guaru; Alexandro (Neto - 37'/2ºT) e Douglas Tanque. Técnico: Narciso.

Atualizada às 21h13