icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
04/04/2014
09:48

Após uma prévia onde Anderson Silva fala sobre a recuperação da lesão na perna esquerda, o site oficial do Ultimate divulgou uma entrevista completa com o ex-campeão dos médios. O vídeo mostra Spider falando sobre diversos assuntos. Além de comentar o carinho recebido do público logo após fraturar a perna, em dezembro, o brasileiro ainda explica que esteve no caminho para ser policial no Brasil e revela que a ideia de enfrentar Roy Jones Jr. em um duelo de boxe teve de ser "engavetada" pelo fato de não ser algo bom para os negócios do maior evento de MMA do mundo.

- É um sonho que me acompanha desde muito tempo. Sempre quis fazer essa luta de boxe com o Roy Jones. É um sonho que eu gostaria muito de realizar. Mas o Dana White já se pronunciou, o Lorenzo também... Eu entendo, é um negócio, e pro negócio deles não é bom. Mas é o meu sonho e um desejo pessoal que eu tinha e por enquanto ele fica engavetado - revelou Anderson, citando os donos do UFC.

Depois de recentemente revelar que estuda para ser policial nos Estados Unidos, em Los Angeles, Spider relatou que por muito tempo esteve no caminho para ser policial no Brasil. 

- Na minha casa, todo mundo é polícia. Meu tio é polícia, meus irmãos, sobrinhos também. É uma família que tem tradição na polícia. Eu por muito tempo estive no caminho para me tornar policial no Brasil. Mas não aconteceu, pois segui um caminho onde não achava que era aquilo que eu queria naquele momento e agora estou tendo a oportunidade de fazer com que isso aconteça no país para onde resolvi levar minha família e viver - explicou.

Para analisar o carinho recebido do público enquanto se recupera da lesão na perna esquerda, o peso-médio cita seus maiores ídolos brasileiros: Ayrton Senna, Pelé, Ronaldo e Wilson Simonal. Ele ainda garante que o apoio gera ainda mais responsabilidade. 

- Senti bastante o carinho do meu público, um calor humano muito grande, a preocupação das pessoas com a minha recuperação... O resultado disso é uma coisa que eu sempre busquei, mas sem levar isso como: "Ah, eu quero que as pessoas me respeitem". Percebi que consegui conquistar isso apenas sendo brasileiro, patriota. A referência de atleta e ídolos que eu tenho, como Ayrton Senna, Pelé, Ronaldo, Wilson Simonal e muitos outros, me deram uma capacidade de entender o quanto eu posso fazer pelo meu país. Confesso que estou muito feliz e isso aumenta a minha responsabilidade como brasileiro e como ídolo de certa forma. Vou continuar a me superar e trabalhar cada vez mais para que as pessoas continuem me tendo como referência - relatou.

Anderson optou por não voltar a lutar em 2014 devido ao andamento de inúmeros projetos pessoais. Um deles é sua carreira como ator no cinema. O lutador almeja vôos altos nas telonas e revela até ter propostas para grandes produções.

- Fiz uma participação com o (Leandro) Hassum no "Até que a Sorte nos Separe 2", foi um sucesso. Vai entrar em cartaz agora em abril um filme que fiz uma participação com o Lyoto... Estou recebendo alguns roteiros também. A ICM é uma grande companhia de cinema que representa atores nos EUA e é a terceira maior do mundo. Recebi uma boa proposta de um grande filme que tem um roteiro fantástico para trabalhar. As coisas estão acontecendo. Tenho que fazer da mesma maneira a qual fiz a vida inteira. Fazer com amor e com verdade. Assim acho que vai dar certo - concluiu.