icons.title signature.placeholder Luis Fernando Coutinho
icons.title signature.placeholder Luis Fernando Coutinho
05/07/2013
10:30

Que Anderson Silva quase se tornou jogador de futebol no passado, muita gente já sabe. A novidade é a opinião do maior campeão do UFC ao comentar seus expressivos nocautes no octógono mais famoso do mundo. Ele compara seus movimentos no MMA a lances do esporte que é paixão nacional no Brasil. Segundo ele, tudo não passa de um "momento mágico" na vida de um esportista. Neste sábado, Spider defenderá o cinturão dos médios da organização diante do americano Chris Weidman, no UFC 162, que acontece em Las Vegas. Em entrevista ao LANCE!Net, o lutador falou sobre seu sentimento ao conquistar um nocaute e comparou seus movimentos a lances de Pelé, Neymar e Messi.

Ao ser perguntado se gostaria de conquistar a vitória neste sábado com nocaute diferente dos que já conquistou, Anderson preferiu não citar Weidman, mas mas explicou que a intenção é fazer o no octógono é a mesma de um jogador de futebol: fazer o público comemorar como se fosse um gol.

- Os nocautes são momentos mágicos. É como um gol. É como o lance do Pelé, em que ele deu três balões e chutou para o gol. É como os últimos lances fantásticos do Neymar jogando. É como o Messi jogando. É um momento muito mágico. É uma coisa que você treina e acaba saindo – comparou.

Assim como os maiores nomes do futebol na atualidade, Anderson faz seus movimentos parecerem fáceis. O campeão diz que o segredo do sucesso na aplicação de seus movimentos é tomar a atitude certa na hora certa.

- Você tem o momento certo para usar o golpe. Não pode deixar passar. Você pode dar um chute diferente, uma cotovelada, uma joelhada, um soco... É tudo a mesma coisa. O soco vai ser sempre o soco, o chute vai ser sempre o chute. Só depende do momento em que você aplica. Você precisa aproveitar o momento mágico - explicou o atleta.

Maior golaço da carreira de Anderson foi o nocaute aplicado em Vitor Belfort (FOTO: Getty Images)

Se for para comparar os nocautes de Spider com um gol, Anderson Silva é artilheiro no UFC, onde soma 11 nocautes em 16 lutas. E se na noite deste sábado o mundo vai parar para ver mais uma apresentação do maior lutador de MMA da atualidade, Anderson Silva também entregou quem são os esportistas que o fazem ficar parado na frente da televisão para assistí-los.

- São três. Tem o Federer, que é um cara que eu gosto muito de ver quando joga e a Serena Williams também. E o Neymar, apesar de ele ser santista (risos). Gosto de ver o Neymar jogando. Sou fã dele – finalizou o campeão dos médios do UFC.

 Spider, artilheiro do nocaute (FOTO: Bruno de Lima)


Confira um bate-bola com Anderson Silva
Explica melhor como você se inspira para suas lutas...
Assito muito vídeo quando estou em preparação. Vejo muito Roy Jones Jr, Muhammad Ali, Mike Tyson... Vejo filmes do Muito Bruce Lee, Jet Li. Meus treinadores dizem: “Para, isso não vai funcionar nunca”. Tem algumas coisas que acabo conseguindo adaptar para o meu treino. Muitas vezes, fico ali, na TV, por horas... Dizem: “Para, desliga isso. Não vai funcionar”. Aí, vai e funciona. Mas, é coisa minha. Pode ser até coisa de maluco (risos).

Como você reage às declarações de que o Chris Weidman vai te vencer?
Cada um tem uma forma de promover a luta. Gosto de promover quando estou dentro do octógono. Não esquento mais a cabeça com isso. É tanto tempo fazendo isso. Não estou preocupado com o que eles estão falando. Meu negócio é ir lá e lutar. Luta é luta. Tudo pode acontecer. Posso ganhar, posso perder... Mas estou treinando muito para poder me sair bem.

Você realmente sonha em enfrentar o Roy Jones Jr em uma luta de boxe no futuro?
Acho que seria uma perfeita luta. A ‘Luta do Século’. Tenho muita vontade de fazer essa luta. Tudo vai depender do meu futuro no UFC. Dependerá do que acontecer nas minhas duas próximas lutas. Mas eu gostaria muito de me testar contra um lutador com o do calibre dele.

Que Anderson Silva quase se tornou jogador de futebol no passado, muita gente já sabe. A novidade é a opinião do maior campeão do UFC ao comentar seus expressivos nocautes no octógono mais famoso do mundo. Ele compara seus movimentos no MMA a lances do esporte que é paixão nacional no Brasil. Segundo ele, tudo não passa de um "momento mágico" na vida de um esportista. Neste sábado, Spider defenderá o cinturão dos médios da organização diante do americano Chris Weidman, no UFC 162, que acontece em Las Vegas. Em entrevista ao LANCE!Net, o lutador falou sobre seu sentimento ao conquistar um nocaute e comparou seus movimentos a lances de Pelé, Neymar e Messi.

Ao ser perguntado se gostaria de conquistar a vitória neste sábado com nocaute diferente dos que já conquistou, Anderson preferiu não citar Weidman, mas mas explicou que a intenção é fazer o no octógono é a mesma de um jogador de futebol: fazer o público comemorar como se fosse um gol.

- Os nocautes são momentos mágicos. É como um gol. É como o lance do Pelé, em que ele deu três balões e chutou para o gol. É como os últimos lances fantásticos do Neymar jogando. É como o Messi jogando. É um momento muito mágico. É uma coisa que você treina e acaba saindo – comparou.

Assim como os maiores nomes do futebol na atualidade, Anderson faz seus movimentos parecerem fáceis. O campeão diz que o segredo do sucesso na aplicação de seus movimentos é tomar a atitude certa na hora certa.

- Você tem o momento certo para usar o golpe. Não pode deixar passar. Você pode dar um chute diferente, uma cotovelada, uma joelhada, um soco... É tudo a mesma coisa. O soco vai ser sempre o soco, o chute vai ser sempre o chute. Só depende do momento em que você aplica. Você precisa aproveitar o momento mágico - explicou o atleta.

Maior golaço da carreira de Anderson foi o nocaute aplicado em Vitor Belfort (FOTO: Getty Images)

Se for para comparar os nocautes de Spider com um gol, Anderson Silva é artilheiro no UFC, onde soma 11 nocautes em 16 lutas. E se na noite deste sábado o mundo vai parar para ver mais uma apresentação do maior lutador de MMA da atualidade, Anderson Silva também entregou quem são os esportistas que o fazem ficar parado na frente da televisão para assistí-los.

- São três. Tem o Federer, que é um cara que eu gosto muito de ver quando joga e a Serena Williams também. E o Neymar, apesar de ele ser santista (risos). Gosto de ver o Neymar jogando. Sou fã dele – finalizou o campeão dos médios do UFC.

 Spider, artilheiro do nocaute (FOTO: Bruno de Lima)


Confira um bate-bola com Anderson Silva
Explica melhor como você se inspira para suas lutas...
Assito muito vídeo quando estou em preparação. Vejo muito Roy Jones Jr, Muhammad Ali, Mike Tyson... Vejo filmes do Muito Bruce Lee, Jet Li. Meus treinadores dizem: “Para, isso não vai funcionar nunca”. Tem algumas coisas que acabo conseguindo adaptar para o meu treino. Muitas vezes, fico ali, na TV, por horas... Dizem: “Para, desliga isso. Não vai funcionar”. Aí, vai e funciona. Mas, é coisa minha. Pode ser até coisa de maluco (risos).

Como você reage às declarações de que o Chris Weidman vai te vencer?
Cada um tem uma forma de promover a luta. Gosto de promover quando estou dentro do octógono. Não esquento mais a cabeça com isso. É tanto tempo fazendo isso. Não estou preocupado com o que eles estão falando. Meu negócio é ir lá e lutar. Luta é luta. Tudo pode acontecer. Posso ganhar, posso perder... Mas estou treinando muito para poder me sair bem.

Você realmente sonha em enfrentar o Roy Jones Jr em uma luta de boxe no futuro?
Acho que seria uma perfeita luta. A ‘Luta do Século’. Tenho muita vontade de fazer essa luta. Tudo vai depender do meu futuro no UFC. Dependerá do que acontecer nas minhas duas próximas lutas. Mas eu gostaria muito de me testar contra um lutador com o do calibre dele.