icons.title signature.placeholder Frederico Ribeiro
10/11/2013
16:46

O cabeludo, depois o mosquitinho azul e, por último, o grande nome da Libertadores 1997. Juan Pablo Sorín, Ricardinho e o goleiro do Grêmio, Dida, todos de passagem memorável pelo Cruzeiro, foram ovacionados pela torcida celeste neste domingo, no Mineirão, antes de a bola rolar para Raposa x Imortal Tricolor.

Sorín, hoje um dos comentaristas esportivos mais respeitados do mercado, deixou sua marca no clube mineiro ao mostrar uma raça típica argentina com uma capacidade tática única. O ex-lateral-esquerdo esteve no camarote do Mineirão para ver a partida. O mesmo aconteceu com o ex-volante Ricardinho, o jogador que mais títulos venceu pelo time celeste.

Já Dida recebeu sua parcela de homenagem quando foi aquecer com os outros goleiros do Grêmio, uma hora antes de o jogo começar. O goleiro foi o grande nome da Raposa na conquista do bicampeonato da Libertadores. Destaque para defesas milagrosas na final contra o Sporting Cristal, do Peru.

Porém, um personagem histórico do time estrelado foi hostilizado pela torcida. Campeão da Supercopa Libertadores, Renato Gaúcho, técnico do Grêmio, impediu Egídio de voltar para a marcação, após lance na linha lateral, e irritou a China Azul.

- Renato, v..., Renato, v... - gritou os 60 mil cruzeirenses.

Atualizada às 17h49.