icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
26/02/2015
00:27

A vitória rubro-negra, nesta quarta-feira, no Bento Freitas, sobre o Brasil de Pelotas, por 2 a 1, serviu para duas coisas. A primeira delas, garantir a vantagem no jogo de volta, dia 18 de março, no Maraca. A segunda, mostrar a Vanderlei Luxemburgo que ainda falta muito para a torcida se sentir segura com a equipe por ele comandada.

Com um golaço, Pará, muito vaiado contra o Madureira, poderia, quem sabe, ter se livrado da perseguição dos torcedores. Mas o Fla deu mole e desperdiçou a classificação já nos acréscimos. O drama persiste.

Foi um jogo ruim de doer, com chutões e mais chutões. Até o gol flamenguista, marcado por Alecsandro, aos 29 minutos, surgiu após falha grotesca do zagueiro Ricardo Bierhals. Ele atrasou erradamente para o goleiro, e o centroavante guardou com facilidade.

E MAIS
> Confira em Tempo Real como foi a vitória do Flamengo
> Imagem da suposta nova terceira camisa do Fla circula na rede
> Pará lamenta gol no fim, mas destaca vantagem para jogo no Maracanã


Sem conseguir trocar três ou quatro passes, o Flamengo optou pela ligação direta, sem sucesso. Até o sempre seguro goleiro Paulo Victor andou dando suas pixotadas, principalmente nas saídas de bola.

O Brasil de Pelotas, por sua vez, empurrado por fanática torcida que lotou o Bento Freitas, tinha como estratégia arriscar de longe. A mira, porém, estava pior do que a qualidade técnica da partida.


  Alecsandro abriu o placar para o Flamengo (Foto: Itamar Aguiar/Raw Image/LANCE!Press)

Embora tenha passado praticamente a primeira etapa inteira a berrar com seus jogadores à beira do campo – a principal vítima foi Pará –, Vanderlei Luxemburgo, mesmo insatisfeito com o desempenho rubro-negro, mandou os mesmos 11 de volta para a disputa da segunda etapa.

Um pouco mais organizado, o Flamengo teve desempenho levemente superior ao do primeiro tempo. Mas muito aquém do que o Rubro-Negro precisava para ter uma performance verdadeiramente de Flamengo.

O Brasil de Pelotas, na segunda etapa, passou a se defender na esperança de o tempo passar rapidamente, para ter direito ao jogo de volta. E a estratégia deu certo, por incompetência rubro-negra. Depois de Pará ampliar, aos 29, o time sofreu apagão e deixou Nena cabecear sozinho, para marcar e adiar a classificação.

Embora não tenha perdido como em 1985, a magra vitória de ontem também deixou o gosto amargo da derrota na boca dos rubro-negros.

BRASIL DE PELOTAS 1 X 2 FLAMENGO

Local: Bento Freitas, em Pelotas (RS)
Data/Hora: 25/2/2015 – 22h
Árbitro: Vinicius Furlan (SP)
Auxiliares: Miguel Caetano Ribeiro da Costa (SP) e Carlos Augusto Nogueira Junior (SP)
Renda/Público: Não divulgado
Cartões Amarelos: Wallace, Eduardo da Silva e Pará (FLA) / Nena e Galiardo (BRA)
Cartões Vermelhos:
GOLS: Alecsandro, 30'/1ºT (0-1), Pará, 29'/2ºT (0-2) e Nena, 47'/2ºT (1-2)

BRASIL: Eduardo Martini, Wender (Galiardo, 35'/2ºT) , Bierhals, Fernando e Forster; Leandro Leite, Felipe Garcia, Washington e Márcio Hahn (Diogo Oliveira, 17'/2ºT); Alex Amado (Cleiton, 35'/2ºT) e Nena. Téc: Rogério Zimmermann

FLAMENGO: Paulo Victor, Léo Moura, Wallace, Samir e Pará; Cáceres (Jonas, 18'/2ºT), Márcio Araújo e Canteros; Eduardo da Silva (Arthur Maia, 27'/2ºT), Marcelo Cirino e Alecsandro (Luiz Antonio, 26'/2ºT). Téc: Vanderlei Luxemburgo