icons.title signature.placeholder Fábio Suzuki
26/02/2015
09:18

A partir deste ano, um grupo de empresários brasileiros colocará em prática um ambicioso projeto no futebol nos EUA, um dos países onde a modalidade mais cresce no mundo. Com sede na Flórida, o Fort Laudardale Strikers não quer fazer sucesso apenas dentro de campo mas também fora dele. E para isso conta com craques do mundo dos negócios para faturar alto com o projeto na franquia.

Um deles é Ronaldo Fenômeno, que também pretende entrar em campo ainda este ano pelo time da North American Soccer League (NASL), uma espécie de 2ª divisão do futebol no país, ficando atrás do Major League Soccer (MLS). Mas o fato de pertencer a uma liga menor se encaixou nos planos do time.

“O potencial de crescimento da NASL é enorme e queremos aproveitar essa oportunidade”, afirma Ricardo Geromel, um dos sócios do Strikers. Segundo matéria do Wall Street Journal, citada por ele, uma franquia da NASL valia US$ 5 milhões há dez anos e hoje seu valor é de US$ 100 milhões.

Apesar do time ser presidido pelo americano Tim Robbie, Geromel terá ao lado outros dois brasileiros, além de Ronaldo, no projeto: André Chaves, responsável pelo futebol, e Carlos Wizard, empresário que é dono da rede de idiomas Wizard, a maior do mundo no segmento.

O plano para a franquia abrange ainda o lançamento de uma rede de academias de futebol (leia ao lado) e o desenvolvimento de novos negócios na modalidade em quatro categorias: Performance Atlética, Mídia e Transmissão, Experiências no Estádio e Sustentabilidade.

“Negócios envolvendo futebol estão pipocando nos EUA e nosso diferencial é ter Ronaldo, que adora projetos inovadores”, diz Geromel, que em janeiro se reuniu com 50 empresários brasileiros que moram em Miami e cuja receptividade ao projeto "foi muito boa".

Academias de futebol
O time americano Fort Lauderdale Strikers terá também uma rede global de academias de futebol voltada para crianças e jovens que se chamará “Ronaldo 9”. A primeira unidade será lançada até junho deste ano e a expectativa é vender pelo menos 100 franquias pelo mundo nos próximos três anos. As unidades terão seis modelos e vão custar entre US$ 100 mil e US$ 150 mil, o que geraria uma receita de ao menos US$ 10 milhões (cerca de R$ 26 milhões) até 2018.

– É um projeto global e a demanda já está muito grande, com interessados nos EUA, Brasil e outros países pelo mundo – comenta Ricardo Geromel, sócio do Fort Lauderdale Strikers.

Para demonstrar o potencial do mercado americano, ele cita que no Brasil há 13 milhões de praticantes de futebol entre 5 e 17 anos, e que há 30 mil clubes na modalidade, enquanto que nos EUA são são cerca de 24 milhões de jogadores na mesma faixa etária para apenas 9 mil clubes de futebol.

No mês passado, Ronaldo Fenômeno e os sócios Ricardo Geromel e Carlos Wizard Martins, este último dono da rede de idiomas Wizard, deram uma volta de helicóptero pela região de Miami à procura de um terreno para servir de “unidade-modelo” da rede de academias de futebol “Ronaldo 9”, que deve ser inaugurada até junho deste ano.

O projeto de negócios para a iniciativa seguirá o mesmo adotado para a Wizard, que hoje é a maior escola de línguas do mundo.

Projeto inovador
O Fort Lauderdale Strikers trabalha na construção de seu novo estádio, que terá um projeto inovador. Segundo Ricardo Geromel, a nova casa da franquia da NASL será construída de acordo com a demanda de torcedores nos jogos da equipe.

– Será um projeto novo, que irá crescer de forma modular com o tempo – comenta Ricardo Geromel, sócio do time, que tem se reunido constantemente com as autoridades locais para tirar o projeto do novo estádio do papel.

Até lá, os Strikers jogará em seu atual estádio, cuja capacidade é  para 20 mil torcedores.