icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
06/04/2014
00:04

A chapa Avança São Paulo, da situação, conseguiu eleger 49 conselheiros de 80 novas cadeiras no Conselho Deliberativo do São Paulo no pleito que aconteceu neste sábado no Morumbi. O resultado encaminha Carlos Miguel Aidar para ser o sucessor de Juvenal Juvêncio na eleição presidencial que acontece dia 16 de abril.

Os novos conselheiros se juntam aos 155 vitalícios na escolha do futuro presidente e antes da eleição deste sábado situação e oposição concordavam que o grupo de Aidar tinha vantagem de aproximadamente 12 assinaturas entre os vitalícios. Com a maioria dos eleitos na eleição deste sábado, a diferença final deve aumentar e tudo encaminha para uma vitória tranquila de Aidar. A chapa SPFC Forte, de Kalil Rocha Abdala, ficou com as 31 cadeiras restantes no Conselho.

Durante a votação, o presidente da CBF, José Maria Marin, esteve no Morumbi e rasgou elogios a Juvenal Juvêncio. Ele votou na chapa de Aidar. Fora do Morumbi, porém, a secretária de Kalil ficou ferida no rosto depois de ser atingida por uma lata atirada por um suposto simpatizante do grupo de Aidar. Essa foi a única ocorrência registrada pela polícia.

Com o resultado deste sábado, Carlos Miguel Aidar deve conseguir seu terceiro mandato à frente do São Paulo. Ele já foi presidente entre 1984 e 1988, com dois mandatos, já que na época o presidente ficava dois anos no cargo, com direito a uma reeleição - hoje são três anos. 

A escolha do advogado como candidato da situação foi do próprio Juvenal Juvêncio e num primeiro momento gerou polêmica. Isso porque Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, esperava ser indicado, pelos anos de parceria com Juvenal. Ele acabou ficando com a candidatura a presidente do Conselho Deliberativo por parte de Aidar. 

O provável novo presidente do São Paulo já tem agido nos bastidores e, dentre suas ações, está a reaproximação com a CBF e a Federação Paulista de Futebol, cujo presidente, Marco Polo Del Nero, vai suceder Marin na presidência da entidade que controla o futebol brasileiro. Neste sentido, Aidar conseguiu levar para o Morumbi o amistoso do Brasil contra a Sérvia, no dia 6 de junho, às vésperas da Copa do Mundo.